O #humorista e ex-Casseta & Planeta Marcelo Madureira foi agredido e hostilizado por manifestantes adeptos da Greve Geral, na tarde desta sexta-feira, 28, na região central do Rio de Janeiro.

Agressão

Segundo fontes, Marcelo Madureira estava gravando um vídeo em frente à Assembleia Legislativa do Rio (ALERJ), local onde se encontravam diversos manifestantes, ocasião em que foi cercado e hostilizado.

O famoso foi simplesmente foi retirado à força, aos gritos de "fascista" e "golpista". No vídeo abaixo, é possível visualizar que Madureira leva empurrões, chutes e ponta-pés, sempre pelas costas.

Motivação

Durante os últimos acontecimentos políticos Marcelo Madureira tem se posicionado como um "homem da direita".

Publicidade
Publicidade

Já proferiu palavrões em face dos ex-Presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. De outro lado, postou um vídeo no YouTube defendendo o Senador Aécio Neves, para o qual, inclusive, fez campanha política bem ativamente.

Entretanto, o humorista está fora das telinhas, para onde não mais retornou depois do cancelamento do programa que o deixou famoso na Rede Globo, Casseta & Planeta Urgente, onde fazia, com seus parceiros, piadas ácidas. O programa esteve no ar durante muitos anos, mas foi retirado da programação da emissora no ano de 2010.

Após isso, Madureira voltou a ter foco com comentários polêmicos anti-esquerdistas postados nas redes sociais e na internet em geral. É bem provável que esse tenha sido o motivo para as agressões que sofreu durante a greve.

Confronto no Rio

A região central do Rio de Janeiro foi palco de um grande conflito no fim da tarde de hoje (28), após pessoas mascaradas atingirem policiais com objetos em frente à ALERJ.

Publicidade

O problema foi se tornando quase que generalizado, espalhando-se até as proximidades da Praça da Candelária.

A Polícia Militar do Estado, por meio do Batalhão de Choque, procedeu à contenção dos manifestantes, utilizando-se de bombas de efeito moral, gás lacrimogênio, bem como por inúmeros disparos de bala de borracha.

O fato afetou o deslocamento de passageiros que precisavam usar o metrô da Cinelândia, pois ele precisou ser fechado. Isso porque o gás lacrimogênio lançado pela Polícia Militar para dispersar os manifestantes acabou atingindo pessoas que estavam no interior da estação, as quais passaram mal. Para evitar outros problemas, foram feitos bloqueios policiais e algumas ruas foram fechadas. #Greve