Neste domingo, 23, o colunista Ricardo Feltrin, do UOL, publicou em sua coluna uma reportagem sobre o polêmico caso envolvendo a queda do avião em que o apresentador Luciano Huck estava, no ano de 2015. Naquela ocasião, um bimotor fez um pouso de emergência em uma fazenda. Além do comunicador do 'Caldeirão', na aeronave também estavam Angélica, os filhos do casal (Eva, Benício e Joaquim), as babás das crianças, piloto e copiloto. O laudo feito pela aeronáutica constatou que o avião que levava os apresentadores da Rede Globo de Televisão sequer devia ter decolado. No entanto, bem antes de qualquer laudo, o apresentador Geraldo Luís, do 'Domingo Show', tratava o piloto, Osmar Frattini, como um verdadeiro herói.

Publicidade
Publicidade

Agora o piloto também é acusado de imperícia no acidente que quase terminou em tragédia. Para Ricardo Feltrin, após todas as máscaras caírem e a verdade ter sido revelada é chegada a hora de, no mínimo, Geraldo Luís pedir desculpas para #Luciano Huck. O apresentador da Globo tentou se meter o menos possível no caso. O máximo que foi enviado à família do piloto, a pedidos de Angélica, foi um panetone em agradecimento ao pouso que deu certo. No entanto, agora o laudo da aeronáutica constata que Osmar falhou. No documento está claro que ele cometeu erros banais e que a empresa de Táxi aéreo também.

O motivo da pane aérea foi a falta de combustível em um dos motores. O piloto não teria seguido os padrões de segurança para voar e esse teria sido o motivo para o avião despencar.

Publicidade

No programa da Record, Geraldo Luís acusou Luciano Huck de abandonar o piloto herói e sua família, que agora estavam sem condições para sobreviver. Osmar, segundo a aeronáutica, sequer tinha autorização para pilotar aquele tipo de aeronave. Ainda se descobriu que a empresa que fazia o serviço, toda vez que um piloto se negava a voar por avarias na aeronave, que contratava gente terceirizada para fazer o trajeto.

O colunista de TV do UOL lembra que Geraldo Luís apenas fez o papel de juiz e que para isso não usou nenhum tipo de base jornalística, apenas o 'achismo". Tudo isso, para o jornalista, teve apenas o objetivo de alcançar mais audiência, já que o caso chamou a atenção da opinião pública. "Em busca do Ibope fácil, do sensacionalismo e do popularesco, acabou impondo a uma das vítimas o papel de culpado. Agora, com o laudo divulgado pelos peritos do Centro de Prevenção de Acidentes Aéreos, todos souberam o que houve", diz Ricardo Feltrin em um trecho do seu texto bastante elucidativo.