Logo após a confirmação de que Emilly é a campeã do Big Brother Brasil 17, na noite desta quinta-feira (13), passou a circular nas redes sociais a informação de que o #Ministério Público do Rio de Janeiro vai investigar o resultado do programa.

Não se sabe de onde partiu a informação, mas diversos internautas comentaram sobre a suposta investigação do MP carioca, como se pode notar nas postagens abaixo, publicadas no Twitter.

Apesar das manifestações nas redes sociais, não há qualquer informação oficial por parte do MP do Rio sobre investigar o resultado do Big Brother Brasil 17. [VIDEO]

Investigações

Em outras ocasiões, o Ministério Público já investigou o Big Brother Brasil.

Publicidade
Publicidade

Na 12ª edição do reality show, em 2012, o participante Daniel Echaniz foi expulso da casa acusado de ter abusado sexualmente de Monique enquanto ela estaria bêbada, depois de uma festa na casa.

A investigação prosseguiu, nada foi confirmado e o rapaz acabou absolvido pela justiça já que não houve qualquer prova de que ele teria feito sexo com a outra confinada sem consentimento.

A própria Monique, em conversa com o delegado titular do 32º DP do Rio de Janeiro, disse que houve troca de carícias, mas que os dois estavam conscientes.

No BBB seguinte, em 2013, Dhomini afirmou que havia mutilado um cã e o MP abriu investigação apara averiguar a suposta agressão ao animal. O vencedor do BBB 3, que voltou a casa na 13ª edição, afirmou que arrancou os dentes de um cachorro depois de ele tê-lo mordido.

Publicidade

Em todos as 17 edições, nunca houve investigação em relação ao resultado do reality show exibido pela Rede Globo desde 2002. E é bem provável que não será dessa vez que isso vai acontecer.

O Ministério Público do Rio de Janeiro deve ter coisas mais importantes para investigar do que o resultado de um reality show, cujo objetivo é entreter aqueles que o assistem.

Também não há qualquer indicio de que houve manipulação no resultado do Big Brother Brasil 17, embora algumas enquetes, sem valor cientifico, apontavam vitória de Vivian.

Emilly venceu a 17ª edição do programa com 58% dos 140 milhões de votos computados, contra 41% de Vivian e 1% de Ieda. A estudante gaúcha de 20 anos levou para casa o prêmio de R$ 1,5 milhão.

Apesar do dinheiro, Emilly deixou a casa ser a participante mais querida, já que esse cargo pertence a Vivian, que foi ovacionada na saída e ainda recebeu o carinho da maioria dos participantes que estavam confinados com elas. #BBB 17 #BBB Big Brother Brasil