O Brasil perdeu, na noite deste sábado (29), um de seus ícones, o cantor e compositor #Belchior, autor de composições como “Velha roupa colorida”, “Como nossos Pais”, “Paralelas”, dentre tantos sucessos. Belchior morreu de causas ainda não divulgadas pela família.

O corpo do cantor e compositor será levado para a cidade de Sobral, onde ocorrerá o sepultamento. Sobral, no Ceará, é a cidade natal de Belchior.

A área da casa onde o ator morava, em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, está isolada pela polícia.

O governo do Ceará aguarda a liberação do corpo pelas autoridades competentes, para proceder com o translado do corpo até Sobral.

Publicidade
Publicidade

Camilo Santana, governador do Ceará, deixou comovente nota, em que falta da história de Belchior e o prestígio que trouxe ao Ceará com seu talento, inteligência e carisma; além do grandioso legado de arte que deixou para o povo brasileiro.

Breve biografia

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes nasceu em 26 de outubro de 1946, em Sobral, no Ceará.

Grande ícone da Música Popular Brasileira (MPB), o cantor tem composições gravadas por grandes personagens da música, tais como Fagner, Vanusa e Elis Regina, dentre tantos outros.

Nos últimos anos, o paradeiro de Belchior era sempre incerto. Muito se chegou a comentar sobre o cantor, que abandonou dois carros em estacionamentos e “sumiu”. Um deles foi deixado no Aeroporto de Congonhas e acumulou milhares de Reais em dívida de estacionamento.

Publicidade

A polícia chegou a procurar o cantor em 2012, por ter deixado dívida acumulada de 6 meses de estadia em um hotel no Uruguai.

Nesse tempo em que esteve ausente da mídia, o cantor nunca quis conceder entrevistas, ou explicar os estranhos sumiços.

Seus sucessos são inúmeros e, dentre eles, estão “Apenas um rapaz latino-americano”, “Mucuripe”, “Velha roupa colorida”, “Como nossos pais”, “Paralelas”, “Todo sujo de batom”, dentre muitos outros. Belchior fez grande sucesso tanto como compositor, quanto como cantor.

Desde 2007, ele vinha se mantendo recluso e o que levou esse fenômeno de sucessos a tal reclusão é um mistério que, ao que tudo indica, permanecerá assim.

Sucessos de Belchior

1972 –”Mucuripe” – sucesso na voz de Elis Regina.

1974 – ”A palo seco”, ”Todo sujo de batom” e ”Na hora do almoço”.

1975 – “Paralelas”.

1976 – “Alucinação”, ”Apenas um rapaz latino americano”.

1977 – lançamento do álbum “Coração selvagem”.

1978 – “Medo de avião”.

1980 – Álbum “Objeto direto”.

1982 – Álbum “Paraíso”.

1984 – Álbum “Cenas do próximo capitulo.

1987 – Álbum “Melodrama”.

1988 – Álbum “Elogio da loucura”.

Belchior cantando

#Famosos #Morte