A atriz, modelo e empresária Núbia Óliiver possui um recorde pessoal que ostenta: é uma das mulheres que mais posou nua em todo o Brasil. Ela tem muitos segredos de sua vida sexual a revelar. Em entrevista ao site Ego, Núbia falou sobre ex-parceiros, ninfomania, vida amorosa e vida sexual.

A sempre eterna Núbia, que agora usa o sobrenome com grafia diferente, Óliiver, contou detalhes e segredos de sua vida íntima pouco conhecidos. A mulher está com 43 anos e é dona de frases picantes como: “jogador de futebol é como absorvente, a gente usa e joga fora” e “homem sem grana não, ele tem que bancar”. A atriz disse ainda que precisou de ajuda médica e alopática para se curar da compulsão por #sexo.

Publicidade
Publicidade

O assunto até pode parecer mais uma história de entretenimento adulto, mas realmente a compulsão sexual é uma doença que pode causar até o suicídio, depressão, entre outras consequências. É um vício. Núbia confessou que era #ninfomaníaca e que viveu o pior da doença ao enfrentar uma grande angústia.

Num determinado momento, ela chegou a sair com quatro parceiros no mesmo dia e voltava para casa sem estar satisfeita. Ao longo de toda sua vida, a atriz conta que teve mais de 400 parceiros sexuais no total.

Quanto chegou ao ponto da promiscuidade sem satisfação plena sexual, ela percebeu que se tratava de uma doença e decidiu se curar. Com ajuda, Núbia Óliiver se diz curada. Ela revelou que atualmente é muito intensa quando o assunto é sexo, mas julga fazer em intensidade considerada normal, muito longe daquilo que já viveu.

Publicidade

Ninfomania

A ninfomania ou hipersexualidade (psicanálise) é, segundo a psicologia, uma descompensação no desejo sexual feminino. A vontade sexual, os pensamentos e toda a rotina da mulher fica envolta pelo assunto e isso pode e normalmente prejudica a execução de tarefas do dia a dia.

Também é conhecido como DSH (desejo sexual hiperativo), que retrata a falta de controle pelo desejo mais primitivo do ser humano. A dor emocional vivida por quem é acometida pela doença é grande e a pessoa tem notória dificuldade em se relacionar afetivamente com um único parceiro.

Não se trata de querer sexo a todo o momento, mas fantasiar o assunto na mente ocupando espaços de outros assuntos corriqueiros. É como, numa comparação grosseira, mas didática, se a pessoa precisasse beber água para matar a sede incessante e fixasse seu pensamento apenas em água, seja gelada, natural, na fonte, com gás etc. Mas tudo que a pessoa mais quer está relacionado àquilo.

A doença causa frustração na mulher, podendo levar a depressão por angústia e até ao suicídio. O tratamento é psíquico e com ajuda de medicamentos para tratar a compulsão. #NubiaOliver