#Marcos Harter está muito mais próximo de virar réu no caso da agressão contra sua ex-affair, Emilly Araújo, dentro da casa mais vigiada do Brasil. O ex-#bbb17, que estava sob investigação e era até então suspeito de agredir Emilly, agora entra na condição de indiciado. A informação foi confirmada nesta quarta-feira, 19, pela GloboNews. Segundo o que foi apurado, o médico foi indiciado por lesão corporal baseado na lei de proteção da mulher, a Lei Maria da Penha.

Segundo a delegada da Deam (Delegacia Especial de Atendimento a Mulher) do bairro de Jacarepaguá, Viviane da Costa, não há mais dúvidas que Marcos teve intenção de agredir e praticou lesão corporal contra Emilly.

Publicidade
Publicidade

A constatação veio depois de análise de imagens, depoimentos e laudo pericial. 'Não há mais dúvidas', disse a delegada.

Agora o inquérito foi encaminhado ao Ministério Público que dará entrada no processo penal. Após aceitação pela Justiça, Marcos Harter passa a condição de réu e a critério do juiz pode ter sua liberdade privada, o que seria difícil, pois ele aparentemente não apresenta ameaça á vítima. A #Prisão só seria decretada no caso de Marcos apresentar ameaça.

Por outro lado, o médico cirurgião pede na Justiça, conforme processo de seus advogados, que o processo seja liminarmente parado. O pedido baseia-se numa suposta falta de atribuição e autoridade legal da Deam e da delegada, Viviane da Costa, para o caso. Também alega Emilly não fez nenhuma representação contra ele. O juiz que recebeu o pedido tem até 72 horas para decidir conceder ou não o habeas corpus.

Publicidade

Entretanto, como explicado ontem, terça-feira, 18, pela própria delegada Viviane, em se constatando lesão corporal, mesmo sem denúncia da vítima, o suspeito poderá ser indiciado.

Médico diz que não quis machucar

Em sua conta no Twitter, logo após ter sido eliminado o médico pediu desculpas aos fãs, à família e à própria Emilly sobre o episódio da agressão e alegou não ter tido nenhuma intenção de agredi-la. Seu depoimento foi marcado para o dia 12 de abril, data que compareceu a Deam e prestou seu depoimento. O ex-brother chegou acompanhado de sua irmã.

Marcos foi eliminado do programa sob a acusação de quebrar as regras do programa que não permitiam a agressão física dentro da casa. A delegada na época deixou claro que a polícia não tinha nenhuma participação nem pedido na exclusão do médico do programa. Marcos alegou que Emilly não fez nenhuma denúncia contra ele, mas Tiago Leifert deixou 'no ar' a hipótese de que Emilly concordou com a eliminação. Quando o apresentador fez o discurso logo após a exclusão do brother, disse que numa segunda conversa com Emilly (na primeira não houve denúncia realmente), a Globo comprovou os indícios de agressão e eliminou Marcos. Emilly acabou como campeã da 17ª edição do programa, que chegou ao fim na quinta-feira (13). Ela ganhou o prêmio de R$ 1,5 milhão.