Desde muito antes da estreia da quinta temporada de "Prison Break", o retorno de #Michael Scofield (Wentworth Miller) intrigava o público. O primeiro episódio foi ao ar esta semana e ficou marcado pela descoberta de Lincoln Burrows que o corpo de seu irmão nunca esteve enterrado.

Atenção! O conteúdo a seguir contém spoilers do episódio 5x01!

O criador do seriado, Paul Scheuring e o produtor Vaun Wilmott cederam uma entrevista ao The Hollywood Reporter e falaram sobre o momento em questão.

"Tive dificuldade em roteirizar essa cena. Escavar aquela cova parecia um pouco absurdo, mas era tudo que Lincoln tinha. Ele precisava saber, acabar com aquela dúvida cruel e decidi ultrapassar minha timidez como escritor e realizá-la", expôs Scheuring.

Publicidade
Publicidade

No final do episódio, Michael é visitado em Ogygia, no Iêmen, por Lincoln e C-Note e profere a enigmática frase: "Meu nome não é Michael".

"A ideia era encerrar o primeiro episódio como uma grande interrogação em cima de Michael. Em que ele se tornou? O que foi alterado dentro dele ao logo de quase oito anos?", ponderou Wilmott. "Agora ele é conhecido como Kaniel Outis, e nos inspiramos em Odisseu, que ressurgiu após anos presumidos como morto, e ele usava o nome 'Outis'".

"Outis significa justamente "ninguém", em grego. É como uma provocação. "Quem foi o responsável por isso? Ninguém". Eu idealizei Michael usando um nome fantasma", acrescentou Scheuring.

Scheuring explicou que se interessou em trabalhar o mistério do repentino retorno de Michael como a força motriz desta temporada.

"Eu desejei que fosse algo quase místico. É algo que levará vários episódios para descompactar. Se fizéssemos Lincoln ir a até Michael salvá-lo e ele disse "ótimo", pareceria que ainda estávamos na terceira temporada. Mas ao rever o irmão e ouvi-lo dizer "Meu nome não é Michael", faz todos os questionamentos emergirem de uma vez. O que aconteceu com ele em todo esse tempo?", explicou o criador.

Publicidade

"Eu acredito que Paul tomou a decisão certa ao reescrever Michael, afinal ele "morreu há sete anos". Foi necessário reconstruir todo o universo de Prison Break", comentou Wilmott.

Por fim, o produtor comentou sobre as novas tatuagens de Scofield: "Elas fazem parte da mitologia do universo de Prison Break. Michael tem tatuagens e planos, é como funciona. Queríamos tornar esses nove episódios em um quebra-cabeças. O que as tatuagens significam desta vez? No season finale será uma surpresa grandiosa e esperamos que o público fique satisfeito", finalizou.

#Seriados #PrisonBreak