Talvez pelo nome, alguma pessoa que não acompanha novelas, não se lembre quem é, mas #Renata Sorrah é uma premiada atriz brasileira, sendo uma das principais do país. Atualmente, brilha na reprise de ‘Senhora do Destino’, no papel da vilã, Nazaré Tedesco. A atriz também deve integrar a nova novela de Aguinaldo Silva.

A jornalista Lu Lacerda, do IG, perguntou para a atriz, dentre outras coisas, o que ela achava da repercussão da denúncia da figurinista Su Tonani, contra José Mayer, que por sua vez, assumiu ter cometido o assédio e pediu desculpas pela atitude.

Renata foi intensa em sua resposta. Ela disse que não queria falar, especificamente sobre José, mas sim da repercussão do caso.

Publicidade
Publicidade

Para ela, tornar público o ocorrido, fez nascer um movimento que busca respeito e igualdade para as mulheres, movimento do qual, é contra qualquer tipo de assédio moral ou cívico.

A atriz vai ainda mais longe e diz que o movimento 'é contra, por exemplo, o homofóbido, racista e machista, Jair #bolsonaroe ainda completa: ‘ele tem que ser preso’.

De onde vem a fama de machista de Bolsonaro

A indignação da atriz se deve ao comportamento de Bolsonaro em algumas situações de conhecimento nacional, inclusive quando, mais de uma vez, disse que não estupraria a deputada Maria do Rosário, pois ela era muito feia.

A primeira declaração contra a deputada, foi dada em 2003, em um programa de TV, se repetiu em 2014, no Congresso Nacional, e um dia depois, o deputado disse a mesma coisa ao Zero Hora, em áudio que encontra-se disponível no site do referido jornal.

Publicidade

Outros casos envolvendo o deputado surgiram, depois deste, mas nenhum com tamanha repercussão, até porque, rendeu processo na esfera cível e uma denúncia no STF.

Deputado ainda não comentou declaração de Renata

O deputado ainda não fez nenhuma declaração sobre a fala da atriz, pois nos últimos dias tem dedicado suas redes sociais, para fazer publicações provocativas contra a deputada, Maria do Rosário. A mesma foi citada em uma delação, onde o delator afirmou ter doado R$150 mil para sua campanha política. A deputada disse que apresentará dados bancários, fiscais e telefônicos para provar que não procede a acusação de Alexandrino.

Maria e Bolsonaro figuram em um mesmo processo que deve ser julgado em breve. A declaração do deputado foi considerada incitação ao crime de estupro, ao dizer que uma mulher feia não merece ser estuprada, deixando subentendido que uma mulher bonita, mereça. Caso seja condenado, perde o mandato e fica inelegível. Em 2015 ele perdeu um processo cível ajuizado pela deputada, sendo obrigado a pagar R$10 mil por danos morais. #Jair Bolsonaro