O jornalista e comentarista político Carlos Chagas era um dos maiores nomes que a TV brasileira já conheceu. Formado também em direito no Rio de Janeiro, foi professor na Universidade de Brasília por cerca de 25 anos. Nas emissoras por onde passou, ele deixou saudades. #Carlos Chagas tinha 79 anos e tornaria-se um octogenário em alguns dias, no mês de maio. Nos últimos anos de carreira trabalhou no #SBT e ao ser demitido da emissora, trabalhou alguns meses na CNT.

A #Morte do querido jornalista foi confirmada nesta quarta-feira, 26, em Brasília, por sua filha Helena Chagas. Helena foi ex-ministra chefe da Secretaria de Comunicação Social na primeira passagem de Dilma Rousseff pela Presidência da República.

Publicidade
Publicidade

Segundo revelou a filha, Carlos Chagas teve um aneurisma arterial, chegou ainda consciente em um hospital particular da cidade, mas logo depois, não resistiu, teve uma parada cardíaca e faleceu.

A filha lamentou muito e garantiu que o pai foi para ela e para suas irmãs, um grande exemplo de vida, e para os jornalistas uma referência. Demonstrou seriedade, muito íntegro e amava a notícia e sua profissão. Ela volta a lamentar a perda do pai, na entrevista ao site 'Congresso em foco'.

A mensagem no Facebook que anunciou a morte de Carlos Chagas era cheia de pesar e com uma linda mensagem: 'era a melhor pessoa que conheci nessa vida', escreveu a filha.

Além de ter trabalhado nas emissoras citadas anteriormente, Carlos Chagas ainda era colunista de 12 jornais, sempre com foco na política. Carlos também escreveu sobre a ditadura militar, em um livro que foi co-autor e foi assessor de imprensa da Presidência quando o general Costa e Silva ocupou o cargo.

Publicidade

Também foi diretor do jornal O Estado, na sucursal de São Paulo.

Ele começou sua carreira em 1958 como repórter de O Globo, mas ficou realmente famoso quando atuou na extinta e saudosa TV Manchete, onde desmitificou a política para o povo, falando uma linguagem mais simples e permitindo que o assunto se tornasse muito mais popular. Seu último artigo foi publicado ainda hoje, em "Diário do Poder" cujo o título diz: 'Nem todos voltarão'.

Carlos Chagas era natural de Três Pontas, Minas Gerais, faria oitenta anos no dia 20 de maio. Jornalistas e fãs nas redes sociais se mobilizaram e lamentaram a morte do jornalista. Muitos lamentaram a morte e reconheceram que dificilmente a lacuna deixada por Chagas no jornalismo será preenchida.

Ainda não foi divulgada a informação de onde será o velório e o enterro.