Crítica da ideologia de esquerda, de movimentos de resistência como o feminismo, por exemplo, e dos ativistas dos Direitos Humanos, Rachel Sheherazade ficou famosa por suas opiniões firmes contra o viés progressista da #Política. Mesmo não sendo declaradamente de direita, ela sempre teve um posicionamento conservador.

Em suas mídias sociais, é comum ver postagens criticando o PT, e demais partidos e políticos de esquerda, e pouco, ou nada, de críticas a membros do PSDB investigados na Lava Jato, ou às reformas polêmicas propostas por Michel Temer, mas chegou a defender, acredite, Eduardo Cunha, responsável por iniciar o processo de impeachment contra Dilma Rousseff.

Publicidade
Publicidade

Enfim, esses são detalhes que deixam claro o posicionamento político ideológico da jornalista.

Contudo, após a humilhação pública sofrida por ela ao vivo na entrega do Troféu Imprensa, foram justamente páginas e militantes de esquerda que saíram em defesa dela contra o machismo e assédio moral praticados por Silvio Santos, chefe de Sheherazade.

Na ocasião, Silvio disse que ela deve parar de opinar sobre política e que a contratou para que "ela, com sua beleza, apenas lesse as notícias através do telepronter", deixando claro o machismo intrínseco em sua fala. É o que acusa a jornalista Cynara Menezes, declaradamente de esquerda, em sua página oficial: "Não posso me calar diante do que o apresentador Silvio Santos fez com ela no domingo, diante de milhões de espectadores do seu Troféu Imprensa.

Publicidade

Mexeu com uma, mexeu com todas, mesmo. Não só com quem a gente gosta", diz ela se referindo à campanha contra o machismo que ganhou notoriedade nos últimos dias.

Além disso, Silvio disse que "se ela quiser opinar sobre política, ela deveria comprar uma emissora própria, e dessa forma, opinar sobre o que quisesse". O constrangimento de Sheherazade foi notável. Ao que Cynara Menezes disparou: "Aproveitando-se do fato de estar acima dela em termos hierárquicos, Silvio apelou para o assédio moral descarado."

No Facebook, páginas de esquerda também defenderam a jornalista do #SBT: "NENHUM MACHISMO PASSARÁ! De Sheherazade à Emily do BBB, nenhuma mulher merece", publicou a Mídia Ninja. "Não gostar de alguém, não dá liberdade pra gente gostar de injustiça contra esse alguém", postou o ativista William de Lucca.

Também houve quem celebrou o constrangimento de Rachel. Alguns internautas publicaram que ela mereceu a "bronca" do chefe por ser "fascista", e que estaria provando do próprio veneno. #Televisão