Desde dua estreia, em novembro de 2016, a série The Crown vem arrancando suspiros e aplausos. A preocupação do diretor Peter Morgan é tanta que nenhum detalhe da família que sempre foi alvo da mídia devido seus escândalos e controvérsias fica de fora.

Tendo como foco a morte do Rei George VI e a sucessão pela sua filha Elizabeth, a série conta com sensibilidade e rigor a trajetória de uma das mulheres que está há 65 anos no centro do poder no Reino Unido.

A série tem o objetivo de contar a história de seis décadas de família real em seis temporadas. Mas sabemos que não é nada fácil para quem está por trás desse projeto.

Publicidade
Publicidade

Apesar do uso de clichês durante a trama, com o intuito de prender o telespectador em dez episódios muito bem dirigidos, a perfeição e os detalhes que vão desde o figurino aos fatos ocorridos naquele período de transição de poder para uma jovem que sentia-se despreparada para assumir a coroa.

Com a morte do Rei George VI em 1947, o trono deveria ser sucedido por Elizabeth. A princesa então casada com Filipe, Duque de Edimburgo e mãe de dois filhos, tinha planos para uma vida tranquila com seus deveres e obrigações que lhe cabia. Mas, tudo mudou em sua vida, e agora a nação estava em sua mão.

Tendo como orientador o Sr. Winston Churchill, na época primeiro-ministro. Teve que tomar decisões difíceis e isso custou a boa relação que mantinha com sua família, colocando seu casamento em uma breve crise.

Publicidade

Elizabeth foi coroada em 1952, e desde então foi a monarca que segurou a base familiar em vários momentos.

O enredo aborda a importância de Winston para a pátria, como também sua decadência e frágil saúde. Como também o conflito da família com um membro deserdado que foi Eduardo Windsor, que abdicou da coroa para se casar com a socialite americana Wallis Simpson em 1936.

A relação pessoal de Elizabeth e Filipe que em vários momentos se desentenderam pelo ritmo de vida que teriam de se adaptar, tendo que suportar todos os holofotes e a imprensa em sua direção. A relação com a irmã a princesa Margaret que era o seu oposto, e o romance entre ela o comandante Peter Townsend.

Podemos observar que uma jovem que recebeu a grande responsabilidade de representar a coroa tornou-se uma missão da qual não poderia abrir mão. Enquanto todos esperavam que ela falhasse, ela manteve força e disciplina para que o seu próprio olhar intimidasse os grandes líderes do mundo todo.

Elizabeth Regina, aos 90 anos de idade e 65 anos de reinado, deu o exemplo a todos de uma boa diplomacia e relação com outros países.

Publicidade

Assim como é de uma importância não só para o Reino Unido, mas para a história mundial. Uma mãe preocupada em com o destino de seus filhos, uma sogra que errou em muitos momentos, mas que recompensou tudo com seus netos que hoje são o futuro da monarquia, que muitos veem com maus olhos e querem por um fim nela.

A segunda temporada de The Crown tem previsão de estreia para novembro. Com direção de Peter Morgan, responsável pelo roteiro do filme A Rainha (2006), tendo no papel principal a vencedora do oscar de melhor atriz, Helen Mirren. #2017