Cherilyn Sarkisian, ou simplesmente #cher. Com exatos 70 anos de idade e mais de 40 de carreira, ela ainda leva multidões para assistir aos seus concertos ao redor do mundo.

Nascida em El Centro, Califórnia, Estados Unidos, Cher passou por todos os patamares do entretenimento. Foi modelo, atriz, apresentadora de TV e, claro, cantora de sucesso mundial. Durante a década de 1960, surgia no cenário musical americano uma jovem de bela voz e um pouco tímida, ao lado de outro artista, Sonny Bono, seu marido na época em que formavam a dupla Sonny & Cher.

O casal vendeu mais de 40 milhões de álbuns. Devido sua irreverência no palco e nas letras de suas canções, acabaram ganhando nos anos 1970 um programa humorístico.

Publicidade
Publicidade

The Sonny & Cher Comedy Hour foi um enorme sucesso da televisão americana.

Cher se separa de Sonny Bono em 1972. Eles tiveram apenas uma filha, Chastity Bono. Agora como artista solo, Cher teria que andar com suas próprias pernas para manter sua imagem e conseguir o mesmo sucesso de antes.

Na época com 25 anos, ela emplacou alguns hits de sucesso, como ''Gypsys, Tramps e Thieves'', ''The Way of Love'', ''Half-Breed'' e ''Dark Lady''. Na época, contou com a ajuda e colaboração do produtor musical Snuff Garrett.

Em 1975, Cher inicia seu programa solo The Cher Show, apenas como um especial. Depois o programa entrou para a grade de programação e tornou-se um sucesso. Nele, Cher exibia uma variedade de figurinos ousados e chamativos para a época, como também foi a primeira a usar roupas com o umbigo de fora.

Publicidade

Casou-se com o cantor de rock Greg Allman, com quem teve um filho, Elijah Blue Allman. Mas, separam-se devido o excessivo consumo de álcool e drogas relacionados a Greg. Em 1979, Cher entra para a disco music, lançando o hit ''Take me Home'' e ''Hell on Wheels''.

No começo da década de 1980, Cher esteve com uma popularidade muito baixa em relação a sua carreira musical. Resolveu ingressar de vez no cinema, atuando em filmes de sucesso e personagens sérios. Em 1982, é convidada por Robert Altman para contracenar na peça teatral da Broadway Come Back to the Five and Dime, Jimmy Dean, Jimmy Dean. Ainda no mesmo ano fez parte do elenco do filme James Dean, o Mito Sobrevive.

No ano seguinte, atua ao lado de Meryl Streep no dramático filme Silkwood - O Retrato de uma Coragem (1983). Em seguida, interpreta a mãe de um rapaz com o rosto deformado em Marcas do Destino. Em 1987, ela atuou em mais três filmes, entre eles Sob Suspeita, As Bruxas de Eastwick e Feitiço da Lua, sendo que o último lhe rendeu a estatueta do Oscar de melhor atriz.

Publicidade

Enquanto ela consolidava uma brilhante carreira no cinema, a #Música também tomou de conta. Cher surge com uma nova roupagem, mais roqueira e comercial. Com o lançamento do álbum Cher (1987), que continha os hits ''We All Sleep Alone'' e ''I Found Someone''.

O trabalho foi seguido do álbum Heart of Stone (1989), trazendo sucessos como ''If I Could Turn Back Time'', ''Heart of Stone'', ''Just Like Jesse James'' e ''After All'', dueto com Peter Cetera.

Na década de 1990, estrelou o filme Mermaids - Minha Mãe é uma Sereia, ao lado de Winoma Ryder e Christina Ricci, lançando também a música-tema do filme ''The Shoop Shoop Song” (“It's in His Kiss”), ambos sucessos mundiais. No ano seguinte lança o álbum Love Hurts (1991), emplacando os sucessos ''Love and Understanding'', ''Save Up All Your Tears'', ''Love Hurts'' e ''Could've Been You''.

Depois de um tempo afastada da mídia para cuidar de sua saúde e outros motivos pessoais, retorna em 1995 com o álbum It's a Man's World, contendo os sucessos ''Walking in Memphis'' e ''One by One''. Também dirigiu um filme dramático e controverso, O Preço de Uma Escolha (1996) com Demi Moore.

Em 1998, Cher é aclamada com o sucesso do álbum Believe, atingindo o Top 10 de vários mercados musicais a nível mundial. Ganhando o Grammy de melhor gravação dance, e o tornando a faixa-título o maior hit de sua carreira, atingindo a primeira posição em 23 países. Outros hits do álbum fizeram sucesso entre eles: ''All or Nothing'', ''Strong Enough'' e ''Dov'è l'amore”.

Na década de 2000, Cher colheu os louros de uma carreira de altos e baixos, mas com sucesso ininterrupto. O álbum Living Proof (2001) elevou ainda mais seu sucesso com o hit ''Song For The Lonely'', conhecida como a música da perseverança durante os atentados do 11 de setembro.

Depois de um longo período de tempo sem lançar nenhum material novo, Cher dedicou anos a uma série de concertos no Colosseum at Caesars Palace, em Las Vegas, recebendo um salário de US$ 60 milhões por ano.

Seu retorno veio com o filme musical Burlesque (2010) atuando ao lado de Christina Aguilera. Em 2013, surge com o álbum Closer to the Truth, lançando os hits ''Woman's World'' e ''I Hope You Find It''.

O legado de Cher é reconhecido por ser uma ativista dos direitos dos homossexuais, uma artista que sempre se reinventou de acordo com cada avanço do tempo. É até hoje uma forte influência para a moda, música, cinema e o comportamento feminino.

Vendendo mais de 100 milhões de álbuns mundialmente e levando suas turnês inovadoras para vários países. Construiu uma fantástica carreira como atriz, sendo premiada diversas vezes por esse mérito. Cher é mais uma lenda viva, que, assim como Madonna, ainda está entre nós.

É a eterna deusa do pop. #deusadopop