Nem só de glamour vivem os artistas, dores e conflitos também fazem parte do cotidiano daqueles que optaram por atuar na TV, teatro, cinema, entre outros. O caso de #Assédio Sexual envolvendo o ator José Mayer teve grande repercussão na mídia e fez com que outras pessoas tomassem coragem para expor seus dramas.

A atriz Cláudia Alencar fez uma revelação chocante onde ela revela a convivência com um pai autoritário e agressivo, #Estupro sofrido na época da ditadura e sobre abusos a que foi submetida na Globo.

De acordo com o portal de informações online, Notícias ao Minuto, a atriz de 66 anos, possui uma carreira artística bem sucedida, mas relatou para o site UOL que a vida sob os holofotes da fama não é um mar de rosas.

Publicidade
Publicidade

Saiba mais.

Violência, estupro e abusos marcaram a vida da atriz

Cláudia Alencar é uma bela mulher e sempre teve muita fibra para enfrentar as adversidades da vida. Segundo a atriz, quando criança, vivia sob a tutela de um pai violento e agressivo e que apanhava muito. O tempo passou e a jovem Cláudia, ingressou na Escola de Comunicação e Artes da USP. Era o auge da ditadura e ela, assim como outros milhares de jovens lutavam contra o sistema de governo imposto ao Brasil. Nesta época, ela fazia parte da Aliança Libertadora Nacional. Como forma de protesto contra a ditadura, ela participava de peças teatrais nas faculdades, na rua e em outros espaços públicos.

Infelizmente neste período, ela foi presa e estuprada várias vezes nos porões da ditatura, ela conta com tristeza que viveu o pior pesadelo que uma mulher pode ter, ser violentada sexualmente.

Publicidade

Depois de viver este inferno, Cláudia Alencar acreditou que nem um tipo de assédio poderia lhe afetar, contudo estava enganada.

Ela confessa que foram dez anos sofrendo todo tipo de assédio na tentativa de conseguir um bom papel na TV, mas que foi vetada por não ceder às investidas de diretores e produtores que queriam sexo em troca de uma oportunidade de atuar. De acordo com a atriz ela era convidada para fazer testes para diferentes papéis, que, no princípio, todos passavam o texto, explicavam como seria o personagem, mas que por fim vinha sempre o convite para um jantar, ou um encontro em um lugar reservado.

A atriz revela que conseguiu seu primeiro papel graças ao apoio de um de seus professores da universidade, o autor Lauro César Muniz, que lhe deu a oportunidade de atuar na novela "Roda de Fogo".

Como ela fez algumas personagens sensuais, o assédio aumentou. Colegas de trabalho, atores, produtores, diretores, empresários, apresentadores, todos se achavam no direito de assediá-la.

Publicidade

Cláudia revelou que um ator com quem ela atuava em uma novela a perturbou por meses, foi quando ela deu um basta definitivo nele, depois disso ele passou a humilhá-la e a constranger na frente de todos e ninguém a defendeu. Foi quando ela percebeu que para continuar atuando teria que simplesmente fingir que nada acontecia nos bastidores da TV. Assim ela viveu por 25 anos.

Cláudia Alencar afirma que admira quem tem coragem de denunciar o assédio sofrido e afirma que não se assusta com tais relatos, pois esse tipo de atitude sempre existiu no mundo sombrio da fama. #Famosos