Mais uma polêmica no caso entre #Emilly e #Marcos Harter agita os fãs do reality e dos dois ex-BBBs. Depois de Marcos escrever uma extensa carta acusando Emilly de ter sido causadora de sua expulsão da casa e ainda sair como 'boa moça', e ter sido acusado de vazar o laudo médico de Emilly Araújo, agora vaza um outro documento que deveria ser confidencial (não se sabe a origem do vazamento).

A conta de Twitter Tá Bonito Brasil, publicou na noite desde última terça-feira, 2, um documento que supostamente seria o #depoimento da ex-sister gaúcha à polícia, logo que saiu vencedora do reality show Big Brother Brasil 17. Marcos havia sido acusado de agressão a Emilly e de posse das constatações médicas por profissional contratado pela Globo, o brother foi expulso.

Publicidade
Publicidade

Até o momento de sua expulsão, acreditava-se que Emilly apenas havia sido examinada e ao serem constatadas marcas de agressão o fato teria dado cabo a eliminação de Marcos Harter. Depois com o vazamento de documentos, como o laudo de Emilly feito dentro da casa mais vigiada do Brasil e evidências apontadas por Marcos em sua carta aberta, somada agora aos detalhes do suposto depoimento, ao que parece Emilly usou seu direito de denunciá-lo. Cabe ressaltar que as agressões realmente aconteceram, foram gravadas e constatadas por médicos e laudo do IML.

Sobre o depoimento, a grande vencedora do prêmio de R$1,5 milhão do BBB17, teria relatado todo o relacionamento, desde o início, onde Marcos era um rapaz maravilhoso, até ir se transformando em uma pessoa que a inibia de demonstrar seu ponto de vista sobre os mais variados assuntos.

Publicidade

Ainda no suposto depoimento, ela teria confidenciado a outra colega de confinamento, que Marcos a teria agredido intencionalmente, e que ela precisou ser atendida por um médico da atração, mas confessa, na ocasião, ter omitido da razão dos ferimentos a profissional de saúde. Segundo o suposto documento, o motivo seria de não expor Marcos e causar uma eliminação. Depois desse fato, as agressões foram aumentando e ela sempre perdoava, pois estava gostando do médico.

Logo depois relata o episódio do dedo em riste em seu rosto, fato que foi a gota d´água para o relacionamento. Ela diz não precisar da medidas protetivas contra o médico, mas afirma estar ciente, que se necessário, poderá solicitá-la. O documento então é encerrado.

Segundo o site de notícias UOL, a delegada do caso foi procurada para confirmar a veracidade dos fatos e do documento, mas ela diz desconhecê-lo e não deu mais detalhes.

O Ministério Público já concluiu o processo contra o cirurgião e ofereceu denúncia contra Marcos à Justiça.

Publicidade

Marcos inclusive pediu um 'habeas corpus' preventivo no sentido de anular a competência da delegada do caso, mas o pedido foi negado. No caso da Justiça aceitar o processo, Marcos passa a ser réu.

Veja o documento na íntegra.