Uma triste notícia para os fãs do cantor Expedito Baracho, que, infelizmente, veio a falecer neste último sábado (27). Ele é conhecido por ser "o maior seresteiro do Brasil" e também por músicas de sucesso como: "Trombone de Prata", "É frevo meu bem" e "Poema do Amor".

A filha do grande músico pernambucano contou que ele passou mal em casa e teve duas paradas cardíacas quando estava sendo levado ao hospital. O velório não será aberto ao público e foi marcado para este domingo (28), às 11 horas da manhã, em Recife. "Perdemos um grande amigo, um grande profissional. A voz mais bonita que #Pernambuco já teve foi-se embora", contou Claudionor Germano, que é outro ícone da musica pernambucana.

Publicidade
Publicidade

Carreira

O cantor era bastante conhecido na terra que adotou como sua, Pernambuco, porque ele nasceu no Rio Grande do Norte. O principal estilo de música de Recife, o frevo, era o seu orgulho e ele sabia divulgar para o Brasil inteiro. Ele aprendeu a tocar violão e gravou várias músicas de compositores como: Nelson Ferreira e Capiba. Sua vocação pela música foi descoberta quando ele se inscreveu em um festival de calouros e ganhou quatro edições seguidas. Ao perceberem que o rapaz tinha talento, ele foi chamado para participar da Jazz Band Acadêmica. O sucesso começou a aparecer na vida do artista depois de virar vocalista da banda fundada por Capiba, na qual tinha que se virar cantando músicas de vários estilos como: xote, baião e etc.

Ele assinou um contrato duradouro com uma rádio local e depois viajou para a maior cidade do país, São Paulo, para assinar outro contrato, só que dessa vez com uma gravadora.

Publicidade

Ele contou em uma entrevista, que em São Paulo lhe deram vários nomes para melhor compreensão do público. Contou também que conheceu o saudoso Jair Rodrigues, que morreu no dia 8 de maio de 2014, quando ele não era famoso, e se lembrou de um conselho que Jair deu ao amigo, dizendo que ele deveria cantar samba.

Sua música

Ele cantava músicas românticas, frevos e marchinhas carnavalescas. Gravou vários sambas e uma longa lista de frevos: "Frevo da solidão", "Garota Vedete", "Eu passo a vida no passo", "É quarta-feira, é madrugada", entre outros sucessos que serão lembrados pelos seus seguidores e fãs. Nos últimos anos da sua vida, cantava nas noites da cidade de Olinda e sempre acompanhava as serestas da cidade pernambucana.

Expedito Baracho: História do Carnaval 20 Super Sucessos CD Completo

#Famosos #Morte