Sempre polêmico e sem “papas na língua”, o apresentador José Luís Datena não tem medo de expor a sua opinião e de surpreender seus telespectadores, revelando segredos que até então eram completamente desconhecidos da mídia e do público em geral. No programa desta sexta-feira (26), o âncora do programa policial Brasil Urgente, da #Band, Datena, de 60 anos, abriu o coração e resolveu revelar a vivência de um grande e grave drama familiar.

Durante uma reportagem que mostrou todo o conflito que a desocupação da Cracolândia vem ocasionando na cidade de São Paulo, o #Jornalista aproveitou o momento oportuno e decidiu falar abertamente sobre o assunto.

Publicidade
Publicidade

Datena revelou para todo o Brasil que um ente muito querido seu quase teve a vida destruída por causa das drogas.

Conhecido por ser um ferrenho combatente contra a comercialização e o uso de drogas, o apresentador deixou claro que tudo que já declarou e continua declarando em relação ao assunto é com base no que viveu dentro da própria casa. "Eu sinto o cheiro do crack até hoje. Eu sei o que ele representa, eu sei que ele transforma alguém querido seu em nada, em alguém desprovido de emoções", desabafou.

O relato impactante continua. "As pessoas deixam de saber o que são, perdem todo o discernimento e passam a viver em função da droga, chegando até a cometer crimes para continuarem usando a pedra", disse.

Ações contra a Cracolândia

Anteriormente, em conversa com o prefeito da cidade de São Paulo, João Doria (PSDB), o apresentador se mostrou extremamente preocupado com o destino dos viciados após a expulsão do local.

Publicidade

Datena perguntou quais as medidas que a Prefeitura tomaria em relação a eles, chegando até a questionar sobre possíveis internações compulsórias.

Na ocasião, Doria esclareceu que esse tipo de internação não eram legais no Estado de São Paulo. Portanto, não poderia fazê-lo sem a autorização dos parentes dos dependentes que lá se encontravam.

Porém, na quarta-feira (24), a Procuradoria do Município entrou na Justiça com um pedido de tutela e urgência para realizar possíveis internações. Na noite desta sexta-feira, a Justiça autorizou que a Prefeitura apreendesse usuários de crack e os submetessem a exames. Mas, as internações compulsórias só poderão ser realizadas com a avaliação um médico ou após o aval de um juiz.

A decisão é válida por 30 dias e ficará restrita à Cracolândia e arredores. Somente viciados maiores de idade poderão ser apreendidos. #Família