Todos sabemos o quanto é difícil produzir um filme ou novela com temática histórica. Os figurinos, os usos e costumes, as falas, etc, tudo é muito complexo de ser reproduzido. Exceto se tivéssemos uma máquina do tempo. A fidelidade absoluta jamais poderá ser alcançada, entretanto, alguns #Erros bizonhos deveriam ser evitados, vejamos alguns:

Coração Valente

Dirigido e estrelado pelo famosíssimo ator Mel Gibson, Coração Valente conta a história do lendário herói William Wallace. O personagem, revoltado com a morte da esposa por soldados ingleses, lidera uma rebelião de vingança que descamba em uma intensa luta pela liberdade.

Publicidade
Publicidade

Evidente que devemos fazer justiça, a produção de Coração Valente é excelente, e muito provavelmente um dos melhores filmes de Mel Gibson. Infelizmente apesar de todo o capricho e da atuação convincente de Gibson, seu filme peca em certos momentos de maneira grosseira.

A maioria dos historiadores tem sucessivamente batido o martelo acerca da alegação da instituição do chamado primae noctis, que permitia os nobres oficiais ingleses terem a primeira relação com mulheres virgens, antes mesmo do futuro marido. Desta forma, cairia por terra já a primeira parte da "lenda" de Wallace.

Outros dois erros absurdos dizem respeito a vestimenta dos escoceses e seus famosos kilts nas batalhas. Wallace teria vivido provavelmente entre os anos de 1270 e 1305, como poderiam os escoceses usarem Kilts nas batalhas comandadas por ele, se a vestimenta só foi incorporada aos escoceses no século XVI? Diz também o filme que, Wallace teria tido um romance com Isabel de France o que seria impossível já que na época, segundo fontes históricas, ela teria apenas três anos de idade.

Publicidade

Evidente que o fato de contar que a mesma teria tido um filho com o herói também seria um grave equívoco, até mesmo porque o tal filho seria Edward III, e o mesmo, apenas nasceu sete anos após a morte de Wallace.

Gladiador

Ao fim do Reinado do Imperador Marcus Aurelius uma grave intriga é criada quando o soberano deixa pública sua predileção em deixar o trono para o general Maximus, o que enfurece Commodus, que se julga legítimo herdeiro, mata o próprio pai e persegue Maximus obrigando o mesmo a se esconder sob a identidade de um gladiador.

Outra história excepcional, mas que tem detalhes divertidos e erros grosseiros tais como o período de governo de Commodus, que foi de doze anos e não apenas dois. O fato de que Commodus nunca matou seu pai como mostra o filme e, por fim, diversas inscrições em latim feitas de maneira errada, introdução de raças de cães que sequer existiam na época e uso de expressões totalmente fora do momento histórico, como por exemplo os gritos de "fogo" para o lançamento de flechas quando a mesma só passou a ser utilizada com a introdução das armas de fogo.

Publicidade

O último Samurai

Outro filme histórico com o queridinho de todos, Tom Cruise, cona a história de um respeitado militar norte americano que após treinar tropas japonesas contra os samurais, acaba capturado pelos mesmos e, intrigado e comovido com seus costumes, se alia a eles.

Apesar de belíssimo filme trás uma série de incongruências absurdas no decorrer de suas mais de duas horas de duração.

Em primeiro lugar, é verdade que o Japão contratou oficiais estrangeiros para modernizar seu exército, porém é sabido que a maioria eram franceses e não norte americanos. Por outro lado, duas cenas absurdas deixam qualquer um de queixo caído sem saber se realmente aquilo seria possível: em primeiro lugar quando o personagem de Cruise, treinando com os Samurais, é atingido por diversas vezes com um bokuto (espada de madeira), inclusive na cabeça, é absolutamente improvável que algum ser humano resistisse sem ficar em coma por semanas. Ainda, é totalmente improvável que um americano conseguisse dominar com maestria a espada samurai, que estes guerreiros demoravam uma vida inteira para conseguir empunhar com maestria.

Produções Brasileiras

Não podemos deixar de mencionar os nossos erros internos, onde chegamos a ver novelas no Egito antigo, com a presença de um extintor de incêndio, celulares em pleno século XIX, e por vezes, decotes "ousados demais" para mocinhas do século XVIII. Erros a parte, nos resta apenas, sentar, aproveitar e curtir, afinal, nada é perfeito. #filmes históricos #novelas de época