Uma apresentadora policial da Record está metida em uma encrenca e tanta. Ela está com o seu nome ligado, mesmo sem nenhum participação, à prisão de um homem na capital do estado do Amazonas, o município de Manaus. De acordo com informações do site 'RD1 Audiência', em reportagem publicada nesta segunda-feira, 8. Pedro Paulo Militão da Silva, também conhecido como Paulinho Paraibano, acabou sendo preso em flagrante durante uma operação policial no estado. Ele é acusado de participar do tráfico de drogas na região. Paulinho é ex-companheiro de Fabíola Gadelha, também conhecida como 'Fabíola Rabo de Arraia'. A repórter foi levada do Amazonas para o estado de São Paulo, sob a influência de Marcelo Rezende.

Publicidade
Publicidade

Hoje ela é uma das apresentadoras e repórteres do 'Cidade Alerta'.

Paulinho Paraibano, o ex de Gadelha, não foi o único que foi parar na cadeia sob a acusação de tráfico de drogas. Ao lado dele, outras três pessoas também foram levadas para a delegacia detidas. Entre eles, alguns eram até militares da Marinha brasileira. A polícia explicou que Paulinho e sua quadrilha estavam sob posse de cinquenta quilos de skunk, uma droga ilícita aqui no Brasil. Os agentes chegaram até aos traficantes, após recebem uma denúncia de uma pessoa não identificada. No momento da prisão, a quadrilha estava fazendo suas vendas em um condomínio luxuoso da capital amazonense.

No local, estavam dos oficiais da Marinha brasileira. Eles aguardavam a chegada dos compradores e, segundo a reportagem dada em destaque pelo 'RD1 Audiência', entregariam a esses cinco quilos da droga.

Publicidade

Ao conversar com os homens, no entanto, os policias não demoram muito e descobriram que de onde vieram os cinco quilos do skunk viriam também dezenas a mais de quilogramas do entorpecente. Ao conversar com os representantes das Forças Armadas, os policiais conseguiram uma confissão e foram parar em uma casa, onde a droga estava armazenada.

De acordo com o Portal do Amazonas, de quem o 'RD1 Notícias' repercutiu as informações, Pedro Paulo e outro comparsa confessaram que moravam em uma das casas e que pagavam aluguel de R$ 2,5 mil do local onde guardavam o entorpecente. O local era estratégico, já que ninguém poderia desconfiar que em um ambiente de luxo poderia estar montado um grande esquema de venda de drogas.

É bom dizer que Fabíola Gadelha e o ex-marido preso estão separados desde 2016. Eles ficaram sete anos juntos. #Famosos