Gloria Perez, uma das autoras mais conhecidas do Brasil, trava há anos uma batalha na Justiça. Ela defende a filha falecida de algo que não gostou muito. A escritora, que está com uma novela no ar, processa a Record e Guilherme de Pádua, ex-ator condenado pelo assassinato de sua filha, Daniela Perez. O julgamento chegou a ser julgado no Superior Tribunal de Justiça nesta quinta-feira (18), mas a decisão da entidade, até o momento, ainda não foi revelada pela imprensa. A informação sobre o processo foi publicada no blog do jornalista Ancelmo Gois, do jornal carioca 'O Globo'.

Motivos do processo comovem fãs de autora e de atriz falecida

A ação de Perez chegou a uma das esferas jurídicas mais altas do país.

Publicidade
Publicidade

A autora, contratada da Rede Globo de Televisão, decidiu processar a Record por conta de uma reportagem exibida dentro do 'Domingo Especular'. Na época, o apresentador Marcelo Rezende exibiu uma matéria sobre a morte de Daniela Perez. A atriz foi assassinada em 1992 por Guilherme e a companheira do ator na época, Paula Thomaz. Na época do falecimento de Daniela, Glória era autora da novela em que a filha trabalhava. Por conta do falecimento, 'De Corpo e Alma' precisou ter um fim às pressas. A situação chocou o Brasil e toda a investigação sobre o caso chocou o país.

No conteúdo exibido pela Record, o assassino da atriz dizia que a morte dela o deixou muito culpado. Ele ainda chegou a dizer que a culpa não teria sido dele e apenas de sua ex-esposa e que, caso fosse apenas pelos dois, o assassinato não teria ocorrido.

Publicidade

A sentença dita pelo ex-ator, que hoje está casado novamente, acabou sendo considerada confusa. De acordo com Guilherme de Pádua, o ciúme de Paula era muito grande e isso teria causado toda a ação criminosa.

Segundo Guilherme, ele tentou ficar com Daniela para ter mais espaço na novela famosa, já que a trama era escrita pela mãe dela. Glória, obviamente, não gostou. Ela trabalha não apenas para manter a memória da filha, como também para explicar o que realmente teria acontecido no fatídico 1992. Ainda na época da exibição da entrevista com Pádua, a Record TV recebeu diversas críticas. Alguns veículos de comunicação, inclusive, criticaram o canal dizendo que a impressão que a entrevista deu era que a Record queria inocentar Pádua. Na época, Gloria Perez se manifestou no Twitter, com veemência, repudiando as colocações do assassino de sua filha.

E você, o que achou da iniciativa da escritora? Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante. #Glória Perez #Famosos