Um dos moradores da Crocolândia chamou atenção do Brasil na última terça-feira (29), trata-se de Andreas Von Richthofen. Encontrado pelos policiais em situação deplorável, ele foi encaminhado ao hospital. O rapaz tentava pular o portão de uma residência e demonstrava confusão mental, além de ter várias escoriações pelo corpo. A prefeitura de São Paulo iniciou uma ação contra usuários de drogas na área da Cracolândia, em São Paulo, tentando mais uma vez dar um fim ao reduto do #vício. Os cerca de dez dias policiais que trabalham na área ficaram surpresos ao descobrir o sobrenome #Von Richthofen entre os frequentadores.

De acordo com policiais militares, Andreas estava bastante agitado e não falava com coerência quando foi localizado, seguiu as autoridades com uma certa resistência.

Publicidade
Publicidade

Ao chegar ao Hospital de Campo Limpo, zona Oeste da cidade tentou pular da maca na hora do atendimento psiquiátrico ao descobrir que precisava ficar internado. Na ocasião foi providenciado a confecção do seu cartão do SUS, pois o rapaz de quase 30 anos não possuía esse benefício que é dado a todos brasileiros.

Andreas Von Richthofen, completará 30 anos no próximo mês de julho, atualmente é o único herdeiro da fortuna deixada pelos pais assassinados de forma brutal por sua única irmã, Suzane Von Richthofen, que segue cumprindo pena atualmente. Na época da tragédia familiar Andreas era um adolescente de 15 anos e foi entregue aos cuidados de parentes próximos.

Segundo informações que constam em seu prontuário ao qual a imprensa teve acesso, os sintomas apresentados por Andreas eram típicos de pessoas que usam substâncias ilícitas e seu aspecto no momento da captura também condizem com quem é acometido por esse vício.

Publicidade

Enfermeiros da unidade contaram que o irmão de Suzane estava sujo, tinha as roupas rasgadas e alguns ferimentos pelo corpo, no entanto nenhum precisou de pontos. Depois de medicado e já mais tranquilo o rapaz ficou sozinho em um quarto por precaução por causa da repercussão do seu nome.

Uma coisa chamou atenção dos funcionários do hospital, a preocupação de Andreas com sua medalhinha de ouro onde se lê o nome da família Von Richthofen, porém o objeto foi guardado por medo que ele se ferisse com o mesmo. Segundo a Assistência Social do hospital, o rapaz em breve terá alta, mas precisa de um familiar presente para autorizar. Até o momento o tio de Andreas, o médico Miguel Abdalla, e também seu tutor desde à época do assassinato, não foi localizado para dar atendimento ao herdeiro. #vitima