#Michael Jackson previu que ele seria assassinado em várias cartas manuscritas que enviou a um amigo, semanas antes de sua #Morte. O Rei da Pop acabaria morrendo, vítima de uma overdose de drogas, em 2009. As cartas reforçam a crença de muitos, incluindo a filha de Jackson, Paris, e a irmã La Toya, que o cantor foi assassinado. Nas 13 mensagens, ele declarou várias informações muito graves, como "eles estão tentando me matar" e "tenho medo por minha vida".

A existência das mensagens foi revelada pela primeira vez pelo empresário alemão Michael Jacobshagen, de 34 anos, que manteve uma amizade de duas décadas com a estrela da #Música.

Publicidade
Publicidade

Em uma entrevista à jornalista Daphne Barak, para o programa de televisão australiano Sunday Night, Jacobshagen revelou como um aterrorizado Michael Jackson o chamou de um refúgio de Las Vegas.

A estrela de Black and White estava se preparando para uma turnê no O2, de Londres, mas pediu a seu amigo para voar da Alemanha para os Estados Unidos para se encontrar com ele. "Ele estava em crise emocional dizendo 'eles vão me matar'", lembrou Jacobshagen.

O empresário alemão voou então para se encontrar com o amigo e passou três dias com a estrela, muito conturbada. Foi aí que Michael Jackson entregou a Jacobshagen as cartas. O alemão disse que as mensagens continuavam dizendo que "eles" estavam tentando matá-lo.

O cantor nunca esclareceu quem eram "eles", mas algumas notas se referiam aos promotores de concertos AEG, que estava organizando os concertos em Londres, que ele estava prestes a realizar.

Publicidade

Uma das notas dizia: "AEG. Faz tanta pressão para mim. Estou com medo por minha vida". O cantor de Thriller foi encontrado morto, semanas depois. A causa oficial da morte foi uma overdose do propofol sedativo. Seu médico pessoal, Conrad Murray, cumpriu dois anos de uma pena de quatro anos de prisão, depois de ter sido considerado culpado de homicídio involuntário por administrar uma dose letal da droga.

No entanto, Jacobshagen afirma que Michael Jackson estava usando propofol há mais de uma década para tratar a insônia. Ele diz que está trazendo a público essas notas para apoiar a filha de Jackson, Paris, de 19 anos, que recentemente afirmou que seu pai foi assassinado.

A entrevista será transmitida no próximo mês na Austrália, Estados e outros países para coincidir com o aniversário da morte da estrela. Vale lembrar que recentemente Paris Jackson disse, em entrevista, que seu pai foi assassinado. A jovem beldade culpava os produtores dos shows, da AEG, por fazerem tanta pressão sobre Michael Jackson. Paris revelou mesmo que Justin Bieber a estava apoiando, porque também ele havia sofrido com o mesmo problema com a AEG.