Após sofrer complicações cardíacas e insuficiência renal, um dos fundadores do Fundo de Quintal, o sambista Almir Guineto, morreu na manhã desta sexta-feira (5) aos 70 anos. O músico estava internado há 69 dias em tratamento no Hospital Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O #Cantor lutou contra os problemas renais crônicos por cerca de 15 meses e, devido a isso, não cumpriu agenda de shows e apresentações que estavam previstas.

A #Morte do artista deixou vários colegas e amantes do samba desolados. Através do Twitter, a família de Almir agradeceu o carinho e orações dos fãs, mas não divulgou informações sobre o velório e enterro do cantor.

Publicidade
Publicidade

Biografia

Almir nasceu e foi criado no Morro do Salgueiro, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Sempre esteve cercado de pessoas apaixonadas por música. Filho de um violinista com a costureira principal da Acadêmicos de Salgueiro, Guineto era irmão de Chiquinho, um dos fundadores dos Originais do Samba.

Ele foi mestre de bateria e um dos diretores da Salgueiro nos anos 1970. Nesta época, Almir introduziu no samba um instrumento inovador: um banjo adaptado com um braço de cavaquinho, o que futuramente foi adotado por diversos grupos de samba pelo Brasil. Em 1979 ele mudou-se para São Paulo e lá se tornou integrante dos Originais do Samba tendo sua primeira composição, "Bebedeira do Zé", gravada pelo grupo.

Amigo da sambista Beth Carvalho, Guineto foi compositor de várias músicas consagradas na voz da cantora como "Coisinha do Pai" e "Pedi ao Céu".

Publicidade

Já no início dos anos 1980, Almir ajudou a fundar o grupo Fundo de Quintal, junto com os músicos Jorge Aragão, Bira, Neoci, Sombrinha, Sereno e Ubirany. Grupo que é visto até hoje como uma referência do samba e inspirou vários artistas que fazem sucesso atualmente.

Guineto decidiu seguir carreira solo logo após gravar o primeiro LP do grupo, "Samba é no Fundo de Quintal". Sua fama como compositor e intérprete aumentou ainda mais entre 1981 e 1984, quando Beth Carvalho lançou várias canções compostas por ele e que se tornaram um grande sucesso, entre elas o dueto com Arlindo Cruz, "Da Melhor Qualidade".

Já em 1986, o sambista lançou seu primeiro grande sucesso, o LP "Almir Guineto", que contava com diversas parcerias de peso, entre elas, o cantor Zeca Pagodinho. Deste trabalho, as músicas que tiveram o maior destaque foram "Mel na Boca", "Lama nas Ruas" e "Conselho".

Homenagem

No Carnaval de 2018, a Mancha Verde vai homenagear o grupo Fundo de Quintal com o enredo "A Amizade, a Mancha Agradece do Fundo do Nosso Quintal". Diversos artistas se manifestaram nas redes sociais sobre a morte do sambista. Entre eles a cantora Alcione, que atribuiu o sucesso de sua carreira a Guineto, por ter escrito grande parte das canções interpretadas por ela. Ela lamentou a morte do cantor e disse que o samba estava de luto. #Famosos