Ticiana Villas Boas preferiu refugiar-se nos Estados Unidos ao lado do marido, o empresário e dono do JBS, Joesley Batista, sob alegação de estar sendo ameaçada de morte e ter seu perfil atacado por internautas. Depois que o marido entregou gravações que comprometiam fortemente o presidente Michel Temer (PMDB), o casal viajou apressadamente para a terra de Trump e lá devem permanecer por algum tempo.

Segundo a jornalista e apresentadora do SBT, ela recebeu várias ameaças de morte, além de se obrigar a parar de compartilhar imagens em sua rede social há cerca de cinco dias por causa de ataques dos internautas em fotos suas, publicadas recentemente."Mercenários! Porcos, chafurdando na lama!" ou "Tomara que seja demitida", esses foram alguns dos comentários.

Publicidade
Publicidade

De acordo com assessoria do SBT, onde a jornalista está à frente do programa "Duelo de Mães", a mudança da esposa de Joesley para Nova York não deve causar nenhum abalo em sua transmissão. A atração exibe no momento o 12º episódio e deve se encerrar no 16º. A temporada segue até o mês de junho. Até o momento, o SBT não se manifestou sobre o assunto e Ticiane segue como funcionária da emissora.

Joesley Batista e o irmão Wesley Batista foram autorizados a levarem as famílias para fora do Brasil por conta das supostas ameaças. Em Nova York, os donos da JBS ficaram em suas coberturas, na Quinta Avenida, uma das mais elegantes da capital. Ticiane e o empresário casaram-se na capital paulista em outubro de 2012, assim ela tornou-se milionária, porém, conhecida do grande público só depois que passou a apresentar jornais na Band e depois, já no SBT, programas de entretenimentos.

Publicidade

A denuncia

Joesley Batista, dono da JBS, surpreendeu o país na noite de quarta-feira (17) quando apresentou um áudio em que mantinha conversas com o presidente Michel #Temer autorizando que ele continuassem os pagamentos de propinas para Eduardo Cunha e Aécio Neves, a fim de que eles não permitissem delações na Lava Jato. A conversa caiu como uma bomba no meio político e na sociedade brasileira. Imediatamente, vários movimentos tomaram as ruas exigindo a imediata renúncia de Temer. Contudo, em um rápido pronunciamento, o presidente disse que não há menor possibilidade de deixar o governo.

O inquérito aberto pelo STF acusa o presidente Michel Temer(PMDB), o senador Aécio Neves(PSDB-MG) e o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures(PMDB-PR) de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução à Justiça. #Brasília #governo federal