Quem acha que o Big Brother Brasil 17 terminou quando Tiago Leifert anunciou a grande campeã, Emilly Araújo, se engana. O #bbb17 ainda dá muito o que falar nos noticiários.

Primeiro veio a grande e talvez pior polêmica da história do Big Brother Brasil, numa suposta violência de Marcos contra Emilly, que culminou com a expulsão dele. Depois de sua eliminação, aconteceram vários outros desmembramento dos fatos.

Entre eles, Marcos acusou Emilly de tê-lo denunciado e, portanto, ter motivado sua saída do reality show. Logo depois, de posse de laudos e imagens, a delegada responsável pelo inquérito para apurar a agressão, Viviane Costa Ferreira, concluiu inquérito e encaminhou ao Ministério Público.

Publicidade
Publicidade

Ela indiciou o ex-brother e disse que existem evidências da agressão de Marcos a Emilly.

O Ministério Público, inclusive, já ofereceu denúncia e aguarda posicionamento da Justiça. Por fim, esta semana o assunto voltou à tona, quando Marcos foi acusado pelo médico que examinou Emilly dentro da casa, de vazar o laudo, ferindo o princípio da ética médica. O médico que fez o laudo prometeu processar Marcos Harter.

Ilmar também foi notícia ao se mostrar engajado na causa indígena e querer entrar na política pelo PT.

Depois, aconteceu o casamento de Elis, a mais divertida sister do reality. Ela, que casou na base do jabá (trocou sua imagem por praticamente tudo na festa), convidou alguns ex-BBBs, como Marinalva, Vivian e Manoel, que foram seus padrinhos, além de Ieda, Mayara e Antônio.

O casamento foi estilo “bafão”, teve gente se jogando como se não houvesse amanhã.

Publicidade

A maior ausência foi da campeã Emilly. Ela foi aguardada até a última hora e não apareceu.

Por último, a notícia que chocou os fãs do reality show envolve a ex-BBB17 Mayara Motti. Ela foi alvo de supostos bandidos em redes sociais.

A morena decidiu se resguardar procurando a polícia, já que foi informada por uma mulher que seu nome estava sendo utilizado de forma indevida para convidar mulheres para participarem de eventos internacionais. Segundo a mulher que alertou Mayara, ela própria havia se interessado pela oferta.

Segundo ela, o perfil falso, usando o nome de Mayara, pegava dados de meninas pelas redes sociais, com o intuito de cadastrá-las em uma base de dados que daria direito a participar de festas fora do país. Mayara, que desconhece o perfil utilizado, registrou boletim de ocorrência na 16ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, sábado (29), informando todo o caso e se eximindo de qualquer responsabilidade sobre o perfil fake.

Segundo informações do site RD1, o intuito dos bandidos pode estar relacionado ao tráfico internacional de pessoas. #tráfico humano #Mayara Motti