O mundo do cinema ficou mais triste, nessa terça-feira (23), com a morte de Roger Moore, aos 89 anos, em decorrência de câncer. Os fãs sempre se lembrarão com carinho dos 12 anos em que ele viveu um dos mais famosos espiões do cinema, #James Bond.

Nascido em Londres em 1927, Moore trabalhou como modelo até conseguir assinar um contrato com MGM por sete anos. Seus primeiros trabalhos não fizeram muito sucesso, mas a história começou a mudar quando ele fez o papel de Simon Templar, na série de televisão britânica "O Santo", entre 1962 e 1969.

Em homenagem a esse grande ator, vamos relembrar alguns sucessos de sua carreira.

Publicidade
Publicidade

O Santo (1962-1969)

Na série. #Roger Moore fez o protagonista Simon Templar, um espião bon vivant encantador e carismático que lutava contra a injustiça.

The Persuaders (1972)

Moore viveria outro agente carismático e bon vivant na série "The Persuaders", em 1972. Fez o personagem Brett Sinclair e protagonizou a série ao lado de Tony Curtis.

A era de ouro, o 007 de Roger Moore

Em 1973, acontece o grande desafio da carreira de Moore. Ele foi convidado para substituir Sean Connery no papel de James Bond. Foi o início da uma grande história.

Roger Moore interpretou #007 em sete filmes durante 12 anos. Deu uma nova personalidade ao agente secreto, um toque de humor que não era tão marcante nos tempos de Connery.

007 Viva e Deixe Morrer (1973)

Nesse filme, o agente é enviado aos Estados Unidos e conta com a ajuda de uma charmosa taróloga para deter um perigoso traficante de drogas.

Publicidade

No longa, também aparecem feiticeiros vudus. O filme foi considerado de mau gosto por parte da crítica, que considerou o roteiro confuso e não gostou das cenas estereotipadas sobre vudus e a cultura negra.

007 Contra o Homem com a Pistola de Ouro (1974)

O filme foi feito durante o período da crise do petróleo e o tema energia alternativa foi abordado. No filme, Bond tenta impedir que um assassino de aluguel destrua um poderoso conversor solar que pode ser a solução para a crise de energia do planeta. O vilão, interpretado por Christopher Lee, é um assassino que cobra U$1 milhão por seus serviços e usa uma pistola dourado como sua marca registrada.

007 O Espião que me Amava (1977)

Submarinos com mísseis nucleares foram roubados. Bond vai ao Egito para descobrir onde foram parar as ogivas antes que alguém as detone. Lá ele se alia a uma bela espiã Russa, Anya Amasova (Barbara Bach), e juntos passam por Itália e Áustria em busca do vilão Stromberg (Curt Jurgens). Um dos maiores sucessos da franquia, "O Espião que me Amava" recebeu três indicações ao Oscar (direção de arte, trilha sonora e canção).

Publicidade

007 Contra o Foguete da Morte (1979)

Aproveitando o sucesso de “Star Wars” (1977), os roteiristas resolveram levar Bond ao espaço. Um foguete experimental desaparece e James Bond é enviado para Califórnia com o objetivo de investigar a empresa que o fabricou. Lá, 007 descobre papéis secretos que o levam a Veneza, Rio de Janeiro e ao Amazonas.

O filme foi muito criticado pelos exageros, como, por exemplo, uma gôndola se transforma numa espécie de lancha em Veneza. É nesse filme que acontece a bizarra luta entre Bond e Dentes de Aço em cima do bondinho do Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro. O filme termina com o agente no Amazonas sendo enviado ao espaço em num foguete.

007 Somente para Seus Olhos (1981)

Mais uma vez Bond precisa resgatar algo que se cair em mãos erradas poderá causar estragos a humanidade. Após o roubo de um sistema de mísseis, o agente é chamado para investigar o caso. Ele vai até a Espanha, possível refúgio do ladrão.

No local encontra Melina (Carole Bouquet), que deseja vingar a morte de seu pai. As pistas os levarão até a Itália, onde Bond encontrará com os vilões. Esse filme também recebeu muitas críticas pelo exagero nas cenas de ação.

007 Contra Octpussy (1983)

Dessa vez, Bond é encarregado de encontrar o assassino do agente 009. Ele vai para na Índia e reencontra Octopussy, filha de um ex-inimigo seu. Ela opera uma rede de contrabando sob a fachada de um circo itinerante. Nesse filme, Bond usa um disfarce inusitado numa das cenas. Ele se veste de palhaço para escapar dos inimigos e vai parar dentro do circo lotado.

007 Na Mira dos Assassinos (1985)

No último filme de Moore como 007, o agente, dessa vez, não vai atrás de mísseis nucleares. O filme pega carona no crescimento da informática. Bond precisa investigar um magnata que pretende monopolizar o mercado da tecnologia da informação destruindo o vale do silício. Aos 57 anos, Roger Moore, considerado velho para o papel, se despede do personagem.

A Maldição da Pantera Cor de Rosa (1983)

Poucos sabem, mas Roger Moore também esteve na pele de outro detetive famoso. Ele viveu o atrapalhado Inspetor Clouseau da franquia “A Pantera Cor de Rosa”.

Nos últimos anos de vida, Moore se dedicou as causas sociais. Foi nomeado embaixador da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e percorreu o mundo fazendo ações sociais.