#Su tonani, aquela que o colunista Leo Dias disse que tinha um affair no passado com José Meyer, agora decidiu botar a boca no trombone e contar toda a verdade sobre o caso. Ela quebrou o silêncio em um textão e pediu para voltar ao anonimato.

Nesta sexta-feira, 5, ela publicou um segundo texto no blog da Folha de S. Paulo, "Agora é Que São Elas" (o primeiro foi a carta que acusou #José Mayer) e esclareceu se realmente foi #Amante de José Mayer e porque ela não foi depor na polícia. Falou sobre demissão da Globo e deu detalhes da vida pessoal.

A Carta

No textão publicado na coluna da Folha, Su Tonani afirma que não era e nem nunca foi amante de José Mayer.

Publicidade
Publicidade

Ela aproveita para declarar que não fez acordo ou recebeu dinheiro de ninguém para não depor. Também esclareceu que não foi demitida da Globo. Como ela tinha contrato para trabalhar durante a novela A Lei do Amor, acabada a novela, acabaria o contrato e portanto não houve demissão.

'Estou sendo vítima'

Su Tonani também esclareceu que jamais retirou a queixa contra o ator porque jamais registrou qualquer queixa contra ele. Ela não compareceu à intimação, pelo simples fato que não era obrigada e que não tinha intenção de registrar nenhum B.O. contra Mayer. A figurinista, que continua a sustentar a acusação pela internet contra José Mayer, conta que foi abusada e se diz vítima novamente.

Ela disse que tentou ser ouvida por oito meses seguidos sem sucesso, por isso procurou o blog feminista "Agora é Que São Elas", para tentar amplificar sua denúncia e se fazer ouvir.

Publicidade

Em suma, nesse trecho ela esclareceu que não vai entrar na Justiça contra Mayer e que, por isso, não seguiu os trâmites policiais. Ela preferiu deixar a denúncia somente no âmbito da internet.

Cultura machista

Depois da campanha movida por um movimento feministas "Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas", ela afirmou que se expor num caso de um figurão da Rede Globo não foi fácil, principalmente em se tratando de uma cultura machista que culpa a mulher da própria violência vivida. Ela ainda culpa a história de ser suposta amante, por conta desta cultura machista.

O Machismo estaria revitimizando-a

Su Tonani se disse revitimizada por esse machismo que tenta enfraquecê-la e tirar sua vontade de lutar contra o que é errado. Ela reclamou até do machismo do delegado, que ao optar por não depor, afirmou que o policial disse que ela estaria cometendo crime de desobediência. Aí ela se pergunta como pode haver crime se não houve nem mesmo denúncia?

"Não temos delegacia da mulher para isso não?", perguntou Su em sua carta aberta.

Publicidade

O objetivo foi cumprido em 4 de abril

Continua em seu documento que a história se encerrou no dia 4 de abril quando o Jornal Nacional leu a confissão do ator e um pedido de desculpas da emissora no ar. Ali o objetivo da denúncia foi cumprido e não haveria mais o que se falar do caso. Além disso, como José Mayer foi cortado de uma produção que faria, ele teria supostamente recebido seu castigo. Em sua visão, neste dia, o assunto deveria ser encerrado.

Pediu 'O Silêncio'

Para concluir o documento, Su Tonani fez um pedido. "O silêncio. É o que eu quero", disse ela. A figurinista ainda detalha que não é um silêncio coercitivo. Ela quer voltar ao anonimato. Ela volta a fazer referência de gênero para citar o machismo e diz que chegou ao final de sua jornada. Não quer mais falar do assunto.

Confira a carta na íntegra e tire suas próprias conclusões: