Convidada do programa “Conversa com Bial”, que foi ao ar nesta quinta-feira (15), na Rede Globo, a cantora funkeira carioca #Anitta foi um completo sucesso. Não apenas demonstrou maturidade e posicionamento firme sobre assuntos variados, mas também cantou em dueto, em inglês, com o apresentador, surpreendendo pela bela performance.

O encantamento do jornalista #Pedro Bial com a moça ficou evidente desde que a chamou para a entrevista, a apresentando como “Fenômeno!”. A reação nas redes sociais não foi diferente. Bastou Anitta pisar no palco para começarem os comentários endeusando a cantora.

Com o imediato sucesso do novo single “Paradinha”, a funkeira está mesmo “com tudo”. Embora já tenha dado os primeiros passos na carreira internacional gravando em espanhol e já tendo feito duetos com Iggy Azalea e Maluma, Anitta deixou claro que quer uma carreira sólida e não tem pressa.

Publicidade
Publicidade

Ainda que deseje o sucesso mundo afora, a cantora afirmou na entrevista que não pretende morar fora do Brasil: “Eu penso em morar no Rio de Janeiro”, enfatizou.

Origem e preconceito

Como em outras ocasiões, Anitta impressionou pela maturidade ao tratar de suas origens, afirmando que jamais negará que veio da favela: “Eu vim do nada e não tenho nenhum milionário injetando dinheiro em mim”.

Defensora do #Funk, falou sobre o preconceito que sofre por vários motivos, a começar pelo ritmo, pela dança sensual, por contar a todos sobre suas cirurgias plásticas e também por ter pouca idade.

Com apenas 24 anos e um tremendo sucesso que mudou por completo sua vida, Anitta mostrou ter plena consciência de seu papel social: “Eu vendo autoconfiança e autoestima para as mulheres”.

Projeto de lei define funk como crime

Sobre o projeto de lei proposto pelo paulista Marcelo Alonsa e que foi enviado ao Senado com 20 mil assinaturas, com o intuito de criminalizar o funk sob o argumento de que este gênero musical seria “crime de saúde pública desta falsa cultura”, Anitta foi extremamente crítica: “Mais um absurdo, que esse Brasil está uma zona e as pessoas estão preocupadas com o funk”.

Publicidade

Ela defendeu que as pessoas desconhecem o quanto o funk ajuda quem não tem oportunidade alguma. Enfatizando sua origem na favela, alegou que cada funkeiro gera pelo menos sete empregos.

As letras picantes disseminadas pelo ritmo também foram comentadas pela cantora, que disse que está melhorando e que hoje fazem mais sucesso as letras mais “tranquilas”, então os funkeiros vão se dar conta disso. O funk tem a ver com a realidade da favela, explicou: “negar e proibir, esse não é o caminho”.

Para encerrar o programa, Anitta deixou o apresentador e o público embasbacados. Informando que não houve ensaio, fez um dueto com Pedro Bial cantando “Cruisin” em inglês, entoando a canção com pronúncia perfeita e uma belíssima voz.

Anitta cantando em inglês com Pedro Bial