Praticamente desde sua criação o #Funk é associado ao tráfico e bailes na favela. Mesmo assim, rompeu a barreira do preconceito e ganhou o mundo. Mas mesmo com sua grandiosidade, o funk pode ser considerado crime contra a criança, adolescente e a família.

Um projeto de lei de autoria do empresário Marcelo Alonso já ganhou mais de 20.000 assinaturas online no dia 24 de maio. Em entrevista ao portal UOL, o empresário disse ser totalmente contra, já que a maioria das músicas fala em matar policiais, sexo, drogas e ostentação.

Muita gente apoia a ideia, mas alguns não estão nada felizes com isso. Um exemplo é a cantora de funk #Anitta.

Publicidade
Publicidade

Ela se posicionou em sua rede social Twitter em relação ao projeto de lei que pode ser aprovado ainda esse ano.

Nessa sexta-feira (09), a cantora Anitta, que não têm papas na língua e fala o que pensa doa a quem doer, deu sua opinião a seus seguidores. A cantora disse que deveriam investir em educação, e ainda mandou um recado aos mais de 20.000 cidadãos que apoiaram o projeto.

Anitta disse que essas pessoas deveriam sair mais do conforto de suas casas e conhecer o nosso país. Ela terminou dizendo que não quer nem imaginar a confusão que o Brasil viraria caso essa lei absurda fosse aprovada.

A cantora não parou por aí. Ela ainda indagou: ''Tá tudo ok com o Brasil já?''. Ela ainda ironiza dizendo que acha que há questões melhores para se preocuparem do que um ritmo musical que está gerando empregos.

Publicidade

Anitta também defendeu as letras que falam sobre o tráfico, sexo, drogas ilícitas e morte de policiais. A cantora disse que se eles cantam sobre isso é porque essa é a única realidade que conheceram. Ela também fez uma colocação que foi bastante aplaudida. ''Deem acesso a outros assuntos e cantarão sobre eles''.

A cantora encerrou o post dizendo que a lei deveria exigir que os filhos dos políticos também estudem em escolas públicas e não façam cursinhos particulares, que os próprios políticos e sua família comecem a frequentar o hospital público.

Ela fecha pedindo para que 'não mexam com quem está quieto, lutando para sobreviver e ganhar a vida honestamente com tanta desigualdade por aí.

A cantora recebeu muitos comentários a apoiando, já que tudo o que ela defende é que todos tenham os mesmos direitos.

A lei ainda não foi aprovada, mas mesmo com uma parte da população apoiando ainda há uma porcentagem bem maior de pessoas que gostam e defendem o ritmo que está dominando o mundo. #Crime