Sem muito alarde, a #Netflix lançou em meados de maio uma série curta, mas que vale a pena dar uma espiada. "#Anne With An E" é uma adaptação da saga da personagem de Lucy Maud Montgomery, escritora canadense que ficou muito famosa por conta de sua #série de livros, mais de um século atrás.

O enredo conta como a jovem órfã Anne (Amybeth McNulty) vai parar na casa de dois irmãos já idosos: Marilla e Matthew Cuthbert (vividos por Geraldine James e R. H. Thomson, respectivamente). O problema é que eles tinha prefererência por um menino e não uma menina, na verdade, um alguém que pudesse ajudar nos afazeres de suas terras em Green Gables.

Publicidade
Publicidade

Mas acontece que este engano, acaba se mostrando benéfico para todos: os Cuthbert acabam se encantando pela garota e a adotando como filha.

A série é uma parceria da Netflix com o canal canadense CBC e tem apenas 7 episódios. Com delicadeza, os temas passam de violência doméstica a bullying, e ainda apresentam uma personagem pequena, mas poderosa.

Atuações impecáveis

Série alguma se sustenta se os atores não convencem. E aqui o trio principal é tão competente que fica difícil não desejar indicações do Emmy para todos eles no ano que vem.

A personagem principal, que empresta seu nome ao título, ficou nas mãos de Amybeth McNulty, de 15 anos, que apesar de jovem não é estreante na carreira. A garota já participou de musicais no teatro (entre eles, "Os Miseráveis") e alguns filmes para a TV.

Publicidade

As cenas ao lado de Geraldine James e R. H. Thomson são um show à parte, com alta carga de emoção a cada episódio.

Tudo é uma obra de arte

Tudo é muito bem pensado e cuidadoso na série: seja na escolha da paleta de cores de cada cena, seja na abertura. A fotografia é impecável e de tirar o fôlego. As tomadas são feitas a induzirem o espectador, de modo que ele entre no mesmo sentimento e carga de tensão do momento.

Você vai reparar por exemplo, que o presente dos irmãos Cuthbert é cinza e escuro. Já quando Anne está em cena, as coisas ficam ligeiramente mais claras. No entanto, quando há flashbacks que mostram o passado: os irmãos ganham cores para simbolizar sua juventude feliz. Já Anne, que teve uma infância difícil, tem cenas em azul escuro e grafite.

Nome de Peso

A escritora e produtora Moira Walley-Beckett entrou no projeto para dar a Anne um tom mais sombrio, mas que não deixasse a história perder o encantamento e a delicadeza. Moira não é "qualquer pessoa" no mundo da TV: ela foi responsável pelo roteiro e produção de 13 episódios de Breaking Bad, incluindo o famoso "Ozymandias", considerado por muitos críticos um dos mais bem feitos episódios de todos os tempos.

Publicidade

e que deu a ela um Emmy.

Ao lado de Vince Gilligan, criador da série, Moira co-produziu os outros episódios; e depois embarcou no projeto dramático de Flesh and Bone.

Protagonismo Feminino

É Moira também quem dá a Anne uma visão diferente do livro, sem perder, no entanto, sua essência principal. A personagem se mostra forte, decidida e dedicada, mas também brinca com humor e imaginação: "Eu prefiro imaginar do que me lembrar", diz ela já no primeiro episódio, que luta para apagar lembranças ruins de seu passado, imaginando coisas boas no presente. Outros temas abordados de maneira singular são a amizade, o bullying e o papel da mulher na sociedade.

Temporada curta

Além de poder ser assistida por toda a família, Anne tem uma primeira temporada curtinha: são apenas 7 episódios, com 50 minutos cada. O único que possui mais tempo é o primeiro, que dura uma hora e meia. Esses minutos todos passam voando quando o espectador se dá conta de que já se encantou pela história bem escrita e bem produzida dessa garotinha forte.