Aos 52 anos de carreira na #Rede Globo de televisão, o ator veterano Ary Fontoura concedeu entrevista nesta quinta-feira (8), para o programa “Pânico”, da rádio Jovem Pan. O assunto principal era o espetáculo “Num Lago Dourado”, em cartaz desde abril no Teatro Renaissance, que fica no bairro dos Jardins, Zona Sul da Cidade de São Paulo.

No entanto, a conversa foi além. Ary Fontoura também falou sobre política, a propósito do papel do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que o ator representará no filme “Polícia Federal, a Lei é Para Todos”. O artista então comentou sobre a Operação Lava Jato, conduzida pelo juiz federal Sergio Moro, e sobre o difícil momento político pelo qual passa a nação, mas que está sofrendo um processo necessário de assepsia, diz Fontoura.

Publicidade
Publicidade

Ary confessou que continua esperançoso de um presidente digno para o Brasil. Esperançoso, comentou, pois ele lembrou que seu avô dizia comumente que um povo que é possuidor de saúde e também educado, tem o potencial constante de construir um país grande.

Sobre o atual presidente #Michel Temer, Ary Fontoura não deixou por menos e adjetivou Temer de “capenga, que está sendo processado”.

O trabalho é um hobby

Aos 84 anos de idade, o ator foi um dos pioneiros da televisão. Ele está na Rede Globo desde a primeira transmissão da emissora carioca. O mesmo não tem intenção nenhuma de interromper o trabalho e considera a sua atividade como um hobby, afirmando que vai continuar enquanto tiver condições para tal.

Para os mais novos colegas, ele ensina que o teatro é o alicerce de todo o trabalho de interpretação, afirmando que quem é bom no teatro é bom em qualquer outro veículo, seja cinema ou televisão.

Publicidade

O teatro é o grande norte de qualquer ator que tenha o mínimo de talento necessário.

Na entrevista não faltaram modéstia e elogios, pois além de afirmar que está longe de se considerar um dos melhores atores nacionais, Ary Fontoura, que é autodidata, disse que jamais se compara a colegas de profissão como Paulo Autran ou ainda Fernanda Montenegro.

Sobre seu próximo trabalho no cinema, o filme “Polícia Federal, a Lei é Para Todos”, o ator não quis se estender. Disse ser um filme comum, sobre a vida brasileira, mas contou que será uma trilogia. O primeiro dos três episódios, termina com a condução coercitiva do ex-presidente Lula – personagem de Ary. Sobre os outros dois, mencionou apenas que “estão difíceis de sair”, segundo ele, porque existem “interesses conjugados”.

Num Lago Dourado

Em parceria com Ana Lúcia Torre, Ary Fontoura é o destaque desta denominada comédia romântica da 3ª idade.

O filme, com o mesmo título, deu o Oscar ao ator norte-americano Henry Fonda, em 1981, e conta a história de um professor aposentado, que decide passar férias com a mulher em uma casa de campo, quando tem seu sossego interrompido pela chegada da filha, com quem o personagem tem uma relação revestida de conflitos e impasses.

Publicidade

A peça estreou no conhecido Teatro Renaissance, localizado na capital paulistana, no mês de abril e continua em cartaz, aos sábados e domingos, até o dia 2 de julho. #Lula