A atriz brasileira Bruna Fornasier tinha o grande sonho de viajar sozinha pela Ásia. Até sua idade atual, 25 anos, fez o possível para economizar dinheiro, planejar e executar a viagem tão esperada.

A viagem, que foi iniciada no mês de abril deste ano de 2017, proporcionou a Bruna conhecer lugares incríveis. No tempo de um mês e meio de viagem, a atriz já tinha conhecido Hong Kong, Bali, Cingapura e Tailândia.

O que ela não esperava, era que além dos lugares incríveis, seria marcada por um abuso sexual.

O caso ocorreu quando Bruna chegou a Tailândia e se hospedou em um hostel. A mesma foi vitima no quarto em que dormia e não hesitou em denunciar.

Publicidade
Publicidade

A atriz relatou como tudo aconteceu.

O depoimento

Ela informou que estava fazendo a viagem, citada no inicio, e que chegou a Tailândia do dia 26 de maio. No mesmo dia, se hospedou em um hostel muito renomado nas redes sociais e conhecido como "party hostel". Cada quarto deste albergue possuía 10 camas e as mesmas continham fechamentos em suas laterais, com entrada e saída através de uma cortina onde ficavam os pés.

Na mesma noite em que chegou, a atriz decidiu sair para conhecer o local e foi a uma festa. Por volta da 1h da manhã ela voltou para o hostel e foi dormir normalmente.

No meio da noite, Bruna acordou muito assustada pois sentiu um cara em cima dela e colocando a mão em sua vagina. Ao perceber o que estava acontecendo, ela não hesitou em gritar. O impressionante é que, mesmo com seus gritos, o estuprador, de origem indiana, disse que iria "enfiar o pênis" dentro dela, que começou a chuta-lo até que finalmente saísse.

Publicidade

Já na manhã seguinte, Bruna contou tudo que aconteceu ao proprietário do hostel e informou a ele que foi vitima de abuso sexual, o que não o abalou. A única preocupação deste era preservar a "integridade" do local que possuía muitos turistas.

Indignada com a situação, Fornasier pegou sua mala, foi para outro hotel e, sem pensar duas vezes, relatou o abuso na rede social Facebook. O post, que ela pensava que não daria em nada, repercutiu tanto que conseguiram achar o individuo.

Após isto, com muita coragem decidiu fazer uma denúncia com todos os detalhes contra o abusador. Ela queria transformar tudo o que passou em um alerta para outras turistas que frequentassem a região.

Na delegacia, onde relatou o caso, foi encaminhada para fazer alguns exames. O médico que a examinou declarou que sua vagina estava inchada e com um corte, porém aquilo não confirmava nada. Encaminhada então para uma psiquiatra, a médica, vendo o estado de choque, assinou um laudo que confirmava o abuso sexual, permitindo assim que seu caso fosse tratado com seriedade.

Publicidade

Por mais de cinco horas Bruna ficou prestando depoimentos e tendo que responder perguntas como "quantos dedos o cara colocou em sua vagina".

A descoberta da identidade do abusador, através de sua postagem no Facebook como citado anteriormente, ocorreu por uma foto dos internautas, que passaram para a vitima o endereço completo de onde estava hospedado.

Bruna, que estava totalmente cansada de todo o processo desgastante, tremeu e chorou diante da descoberta.

Apenas no dia seguinte, informaram a ela, que "ele" (o estuprador) estava sob custódia da polícia. Para justificar o que aconteceu, o indivídiuo declarou que estava bêbado e que havia colocado a mão só na perna da vitima.

Mesmo com tantos constrangimentos, além do abusador querer falar com ela, que negou, foi intimada pelo advogado do hostel, pois seria processada por ter feito a postagem citando o nome do local.

O processo do caso ainda está em andamento e Bruna está acompanhando tudo para que a corte tailandesa deixe o suspeito preso.

Infelizmente, muitas mulheres passam pelo mesmo caso de Bruna e não possuem coragem para fazer o que ela fez: falar.

Se você é mulher, sofreu ou conhece alguém que sofra abusos sexuais, #Denuncie. Diga "não à cultura estupro". #AbusoSexual #pelofimdaculturaestupro