Nesta segunda-feira (19), detalhes sobre a #Morte da atriz Carrie Fisher foram divulgados pela imprensa internacional. A famosa morreu em dezembro do ano passado, após passar mal em uma viagem de avião nos Estados Unidos. Carrie ficou famosa por ter feito a Princesa Leia, um dos principais personagens de 'Star Wars'.

No corpo da profissional da dramaturgia, foram encontradas drogas como ecstasy, cocaína e até heroína em seu sangue. A conclusão foi feita por médicos legistas que fizeram uma ampla perícia no corpo da artista. A conclusão chocou o mundo e virou notícia nos principais sites de todo o planeta.

Paralisia do sono e doença mental mortal

O relatório médico acabou concluindo que a atriz teria consumido tais drogas apenas três dias antes de falecer.

Publicidade
Publicidade

Não demorou muito e descobriu-se também que a eterna 'Princesa Leia' também tinha outras doenças, como a Paralisia do sono. Nessa doença, as pessoas não conseguem se mexer ao "despertarem" do sono durante a madrugada. Isso é gerado por muitas coisas, como estresse e falta de tempo suficiente para dormir. A atriz faleceu aos 60 anos e a morte dela deixou muitos fãs de 'Star Wars' completamente tristes.

Veja abaixo um tweet de uma agência internacional de notícias sobre a conclusão da autópsia da atriz:

Ainda no relatório, os médicos legistas dizem que #carrie fisher teve uma parada cardíaca em pleno avião.

Publicidade

O relatório disse que a atriz tinha muitas substâncias em seu corpo e que, por isso, fica complicado saber o que realmente gerou o seu falecimento. Os médicos dizem, no entanto, que muita gordura foi encontrada em suas artérias e que isso pode explicar também a causa de seu falecimento.

Família fica chocada ao saber de laudo médico

Em entrevista, o irmão da atriz que fez a personagem 'Princesa Leia' de 'Star Wars', Todd Fisher, disse que ficou chocado com a informação e que tem certeza de que a irmã não era uma drogada. De acordo com ele, nunca ao longo da vida da famosa, ela mostrou qualquer relação de vício com os entorpecentes. Já Billie Lourd confirmou que a mãe realmente lutou a vida inteira contra o uso de drogas e ainda informou que ela tinha uma doença mental. Segundo Billie, ela morreu por conta dessa enfermidade importante. "Ela foi deliberadamente transparente em toda sua obra sobre o estigma social em torno destas doenças", dizia um trecho do comunicado divulgado aos jornalistas de todo o planeta.

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas importantes.