O programa de Fernanda Souza, 'Vai, Fernandinha', com a atriz #Débora Nascimento, nem foi ainda ao ar e já povoa os noticiários. Notícias dão conta de uma parte triste da entrevista que a esposa de José Loretto deu no talk show de Fernanda. Apesar de assuntos muito amenos, em determinado momento uma revelação deixou muita gente tocada por trás das câmeras, quando o programa era gravado. A história contada por Débora revela que uma amiga, muito próxima, que trabalhava com moda, acabou falecendo de #anorexia. Ao lembrar a perda, a atriz chorou bastante. Um dos motivos da emoção de Débora é que ela já viveu de perto essa necessidade de estar sempre magra.

Publicidade
Publicidade

O programa gravado deve ir ao ar nesta sexta-feira, 16, no Multishow, canal de TV paga da Globosat.

Débora Nascimento sofreu com a 'ditadura da magreza'

Débora lembrou com tristeza e emoção a perda da amiga e se sentiu na pele da garota. Ela, que também já tentou a carreira de modelo quando tinha 15 anos, contou que era uma menina muito seca. Mesmo aparentando pele e osso, neste concurso que participou, concorrendo com 30 outras garotas, ouviu que era muito gorda para a passarela. Durante o concurso, a alimentação era cedida pela organização. No momento do almoço, ela revela que passou uma das situações mais constrangedoras de sua vida. Com muita fome e pouca comida, ela queria comer a sobremesa oferecida no dia. Ao tentar dar a primeira abocanhada, veio o constrangimento.

Publicidade

Ela teve que devolver o alimento, por supostamente estar acima do peso e precisar emagrecer mais ainda para desfilar. Ela definiu a essa exigência de estar sempre muito magra, de 'ditadura da magreza'.

Atriz chora por amiga que morreu de anorexia

Débora Nascimento revelou o truque mortal e alertou às mães para que fiquem atentas à magreza excessiva das filhas. Segundo ela, as modelos bebiam detergente e comiam algodão. Aos prantos, ela revelou que, quando encontrou a amiga antes dela morrer, alertou que ela estava muito magra e ouviu dela: ‘Quanto mais magra fui ficando, mais rica e conhecida fui ficando, mais foco eu fui tendo’. Então as meninas entram num ciclo viciante e querem sempre estar mais magras para ganhar mais dinheiro e prestígio.

"Foi 'escroto', quase morri também de anorexia"

Débora, ainda emocionada, também disse à Fernanda Souza que ficou sem comer, desmaiava e estava definhando por conta da exigência do mundo das modelos. Em um determinado momento, a mãe, percebendo que a filha iria morrer definhada, exigiu que a filha saísse da profissão. "Minha mãe me salvou quando viu que eu estava definhando. Ela me salvou da anorexia", disse Débora à colega. #Morte