Durante sua trajetória até a vitória final e a conquista do prêmio de R$ 1,5 milhão na edição mais recente do Big Brother Brasil, #Emilly brigou com praticamente todos seus colegas de confinamento, inclusive várias vezes com seu ex-par romântico, o doutor Marcos. Foi chamada de imatura por profissionais de saúde mental consultados pela imprensa, foi parte de uma falsa eliminação na tentativa da Globo de injetar drama e suspense no reality show longevo e manjado.

Ela ainda viu seu par amoroso retirado da casa e obrigado a se entender diante das autoridades sob a acusação de tê-la agredido e atraiu a antipatia de boa parte do público.

Publicidade
Publicidade

Enfim, o caminho de Emilly foi bastante atribulado.

Comparado com ele, a vida pós-casa, aproveitando o prêmio em dinheiro e os tradicionais 15 minutos de fama que costumam vir depois da vitória e podem ser transformados em cachês por participação em eventos e em propagandas, deveria ser como navegar um mar de rosas.

Parece, contudo, que Emilly não foi feita para a tranquilidade. O comportamento dela ameaça colocá-la em uma galeria triste, mas cuja existência é conhecida de todos, a dos sujeitos que ganharam na loteria (literal ou metaforicamente) e desperdiçaram o prêmio. A ostentação de Emilly nas redes sociais já fez com que seguidores seus a aconselhassem a contratar alguém que possa orientá-la em assuntos financeiros para que ela não vá perder tudo o que possui. Eles temem que se trate de mais uma história de um indivíduo milionário a caminho da sarjeta.

Publicidade

Além da exibição material online, Emilly também tem gastos com assessores e com o pai, a quem ela sustenta desde que ele deixou seu emprego anterior para dirigir a carreira da filha famosa. Emilly alugou recentemente uma luxuosa e espaçosa cobertura duplex - já mobiliada e contando com piscina e churrasqueira - na Zona Sul na cidade do Rio de Janeiro a um custo de cerca de R$ 7 mil mensais. Antes disso, dividia um flat com a irmã e o pai que custava R$ 11 mil por mês.

Se as despesas são grandes e frequentes, os números do lado do faturamento são bem menos impressionantes. Emilly recebe R$ 3,7 mil mensais da Globo, condição que deverá permanecer até o fim de seu contrato com a emissora em alguns meses. Esse valor é pouco mais do que ela gasta só com sua cobertura.

Depois de encerrado o contrato, não é claro de onde Emilly conseguirá tirar dinheiro. Até o momento, as oportunidades publicitárias que tradicionalmente se abrem à frente dos ex-BBBs, especialmente dos vencedores, não se materializaram para ela.

Publicidade

Seja lá qual for a razão, talvez a personalidade forte da ex-#BBB, talvez as polêmicas em que se envolveu, talvez algum outro motivo, o mercado não parece ter se interessado muito por Emilly. Além disso, a cada hora que passa, o entusiasmo do público (e, consequentemente, das empresas) com relação aos egressos da casa arrefece um pouco mais.

Sabe-se muito bem que saco do qual muito se tira e no qual quase nada se põe acaba por se esvaziar e não pode mais parar de pé. O tempo dirá se é o caso com as finanças de Emilly. #Famosos