O ex-jogador e apresentador do programa "Troca de Passes" do canal #Sportv, Roger Flores sofreu uma tentativa de assalto nesta tarde (30), no Leblon (bairro de classe alta), Zona Sul do Rio de Janeiro. Um assaltante armado queria levar seu relógio, mas o ex-atleta não entregou e ambos passaram a trocar socos. O bandido fugiu, mas acertou uma coronhada na cabeça de Roger.

O ex-jogador afirmou que achou que a arma apontada para o seu peito era de brinquedo e que por isso se atracou com o ladrão. A briga começou na calçada e foi parar dentro de uma loja, onde funcionários e clientes ficaram muito assustados com o tumulto. Segundo, Roger, foram muitos socos trocados e só depois é que ele notou que estava com um hematoma na cabeça, fruto da coronhada que levou.

Publicidade
Publicidade

Apesar do susto, Roger está bem e chegou a fazer a descrição do assaltante para um policial militar. O jogador, porém, não foi à delegacia para formalizar queixa contra a tentativa de assalto.

Prática é condenada por especialistas

A atitude tomada por #Roger Flores é severamente criticada por especialistas em segurança e pela própria polícia. As chances de sair gravemente ferido ou mesmo de perder a vida ao reagir a um assalto, são muito maiores do que as de se livrar do assalto. O recomendado em casos assim, é tentar manter a calma e entregar tudo o que for pedido, sem efetuar nenhum movimento brusco.

Jogador tinha fama de craque e de chinelinho

Roger foi uma meia habilidoso e atuou por grandes equipes do futebol nacional como Fluminense, Flamengo, #Corinthians, Vasco, Grêmio e Cruzeiro.

Publicidade

Chegou a jogar em Portugal e no Qatar. Também teve algumas passagens pela seleção brasileira, mas nunca conseguiu se firmar com a amarelinha.

Suas seguidas contusões, o fizeram receber o apelido de “chinelinho” que é o significado usado no meio do futebol para designar o jogador que faz corpo mole.

Passagem polêmica pelo Corinthians

Roger vestiu a camisa do Corinthians entre 2005 e 2007 e viveu bons e maus momentos. De positivo, a campanha que levou o time ao título Brasileiro em 2005, quando ao lado de craques como Carlitos Tévez, Mascherano e Nilmar, apresentou um belo futebol.

Mas também se envolveu em conflitos com técnicos que passaram pelo clube e há quem diga que ele tenha cobrado um pênalti para fora, propositalmente contra o Figueirense para prejudicar o então técnico do time, Daniel Passarela. O ex-jogador, no entanto, nega que isso seja verdade.