A #Violência galopante se faz cada vez mais presente desde os grandes centros urbanos brasileiros até as pequenas cidades do interior. É um clima de tensão e brutalidade que escolhe aleatoriamente as suas vítimas, ou, às vezes, não tão ao acaso assim, sendo uma ação criminosa premeditada.

Muito provavelmente seja esse o caso que ocorreu em torno das 7h da manhã de sábado, dia 24 de junho, com a loira Samantha Miranda, que é funkeira e o marido Marcelo Diotti da Mata, enquanto ambos saíam da festa Rooftop, que ocorria no Hotel Grand Mercure, localizado no bairro nobre da Barra da Tijuca, Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro, ocasião em que quase foram assassinados.

Apesar do acontecido, tanto o homem quanto a mulher não sofreram ferimentos.

Publicidade
Publicidade

Pouco tempo depois a funkeira já estava prestando depoimento na 16ª DP, também na Barra da Tijuca e Samantha não hesitou em acusar a Cristiano Girão, o ex-marido, como o mandante da tentativa de assassinato dela e do atual esposo.

Vale frisar que a ficha corrida de Girão é realmente questionável, pois o mesmo já foi ex-vereador e o principal líder da milícia do bairro de Gardênia Azul, também na Zona Oeste da Cidade Maravilhosa.

O DJ Guilherme Scarletelli esclareceu às autoridades policiais de plantão, que tinha acabado de tocar na festa e que tinha saído há poucos segundos; sendo que, preparava-se para ir para casa; entretanto, quando ele escutou os disparos com arma de fogo, correu em direção a Samantha para proteger a mulher, que se jogou no chão atrás de um carro; entretanto, estava ilesa.

Publicidade

Quanto ao esposo da cantora, esse se utilizou de um caminhão de entregas como proteção e também não sofreu nenhum arranhão.

Scarletelli acredita que foi sim um acerto de contas e que o assassino contratado só foi embora porque pensou que tinha terminado o serviço e matado a funkeira.

A mulher que quase morreu disse aos policiais que um homem vestido com um casaco branco, surpreendeu a ela e ao marido, disparando imediatamente a uma distância de cinco metros. Foi só o tempo do casal correr para não morrer.

Samantha falou que o ex-marido Girão está com raiva dela, uma vez que ele foi acionado judicialmente para honrar o pagamento da pensão alimentícia da filha que teve com a cantora de #Funk.

Girão se encontra em liberdade condicional, mas passou 13 vezes pela #Polícia pelos crimes de furto, lesão corporal, adulteração eleitoral, corrupção, ameaça e homicídio, entre tantos outros delitos.

Agora tudo indica que nessa grande confusão, ninguém é santo, pois Samantha que faz sucesso com a música “Eu quero é farra”, também tem 3 passagens na polícia sob a acusação de formação de quadrilha.

Publicidade

Sobrou até mesmo para o atual marido da funkeira, Marcelo Diotti da Matta, o qual já ficou preso por homicídio e tem envolvimento direto com o comércio das máquinas caça-níqueis.

A 16ª DP encaminhou a investigação à 42ª DP, no bairro do Recreio dos Bandeirantes, que é a delegacia de polícia responsável pela região em que ocorreram os disparos.

Enfim, o que vai ser desse caso aqui para frente depende unicamente da polícia e dos sucessos nas diligências a serem feitas. Até o momento, a ação concreta é que os policiais estão tentando ver se alguma câmera de segurança no local do incidente possa ter gravado a cena com riqueza de detalhes.

Nesse meio tempo, infelizmente, os homens e mulheres de bem desse país ficam a mercê dos desvairados e irresponsáveis criminosos de plantão.

Funkeira carioca Samantha Girão cantando 'Eu quero é farra'