Quem assistiu ao programa "Encontro" desta quinta-feira (15) pôde ver que, ao lado de Ana Furtado e Lair Renó, outro #Jornalista também apresentava, e muito bem, o matinal da Globo. Ele se chama Manoel Soares e é um baiano de 37 anos, formado em Jornalismo e, hoje, o mais novo repórter contratado do programa. Ao saber que iria trabalhar com Fátima Bernardes,

Manoel conta que passou três dias com dor de barriga e o nervosismo quase ameaçou atrapalhar. Porém, tudo saiu perfeito e o novo repórter do "#Encontro" e substituto - mesmo que por um dia - de sua musa inspiradora confessa que adora vê-la à frente do programa. "A naturalidade dela, o jeito com que faz o jornalismo dialogar com o entretenimento, tudo me encanta", confessa, empolgado.

Publicidade
Publicidade

Contudo, a vida desse repórter nem sempre foi fácil. Ele conta que só nasceu na Bahia, mas, ainda bebê, foi morar no Rio Grande do Sul, onde foi criado solto nas ruas das favelas, correndo todo tipo de perigo. Para piorar, ele era gago e motivo de chacota entre os meninos. De tudo fez um pouco, quando adulto; foi pedreiro, ambulante, segurança e até bandido tentou ser, mas não foi adiante, por ser muito medroso. Além desses perrengues todos, foi morador de rua, onde teve que disputar comida com os ratos. Mas, Soares não se queixa e mostra um crachá que carrega e pertence a sua mãe, dona Ivonete. "A ela eu devo tudo que sou", diz orgulhoso.

O ex-repórter da RBS, afiliada gaúcha da Globo, na verdade ainda tem 36 anos. Seu aniversário é no dia 18 de junho, próximo domingo. Para ele, trabalhar com Fátima Bernardes é uma honra muito grande e não hexita em dizer que ela é seu espelho e lhe parece ainda um pouco virtual.

Publicidade

Manoel entrega que a mãe, quando tomou conhecimento de quem era sua nova chefe, olhou-o e disse que fosse lá e soubesse se comportar. Longe de ficar irritado com a genitora, ele a compreende muito bem, por saber que não era uma bronca e sim uma chamada para que fizesse bem feito o que já faz há muito tempo.

O jornalista orgulha-se muito de tudo que conquistou até agora e sabe de sua responsabilidade. Segundo ele, o mérito de chegar até onde chegou não é seu e sim de pessoas do quilate de Milton Gonçalves, Lázaro Ramos e Zezé Mota que, ao lado de outros militantes negros, lutam por espaço. Pai de quatro filhos, Soares garante que faz tudo em prol deles, para que possam ter uma vida com mais igualdade. Porém, não quer carregar o peso de ser, para a família, um novo "Messias", que veio para salvá-la. Ele só quer ser feliz. #Rede Globo