É com imensa tristeza, mas é o papel do jornalismo verdade anunciar todas as notícias, sejam elas agradáveis ou não, que o cenário musical brasileiro ficou hoje um pouco mais triste com a morte trágica da cantora de forró Eliza Clívia, com 36 anos de idade, e do marido, em um acidente automobilístico na cidade de Aracajú, capital do Estado do Sergipe.

Eliza alcançou notoriedade em todo o Brasil ao fazer parte como vocalista da banda nordestina de amplo sucesso, “Cavaleiros do Forró”. Entretanto, lamentavelmente, da mesma forma repentina que veio o sucesso para a jovem cantora, ela perdeu a vida também com extrema velocidade.

Publicidade
Publicidade

O casal se encontrava na cidade de Aracaju para promover o show da artista nesta noite de sexta-feira, dia 16 de junho, e o mais inconcebível, é que tanto Eliza quanto o esposo tinham acabado de terminar uma entrevista de divulgação em um programa jornalístico da TV Aperipê, onde a moça falou sobre o projeto de sua carreira solo, os dez anos em que foi integrante da Cavaleiros do Forró, abordou ainda o cansaço comum nas longas viagens a trabalho e, principalmente, destacou o imenso carinho que tinha por todos os seus fãs do Sergipe.

Já fora dos estúdios, dentro do automóvel, este acabou se chocando com violência contra um coletivo na região central da capital. Marido e mulher morreram instantaneamente no local.

Outros três passageiros, que também estavam no carro e eram integrantes da equipe de suporte musical, acabaram sofrendo ferimentos; todavia, nenhum deles corre o risco de perder a vida.

Publicidade

O socorro foi prestado rapidamente e os responsáveis pelo mesmo conduziram os três sobreviventes ao hospital mais próximo.

Todas as informações citadas acima foram veiculadas pelo site “G1” e se basearam nas declarações de Jailson Souza, que trabalhava como o produtor da cantora #Eliza Clívia.

Vale frisar que até o presente momento não foram transmitidas maiores informações ou orientações sobre a liberação dos corpos para os familiares diretos do casal por parte do IML (Instituto Médico Legal), bem como o horário e o local em que será realizado o velório coletivo.

De fato, é uma verdade o provérbio de que “o tempo e o imprevisto sobrevém a todos”, ou seja, as pessoas às vezes estão no lugar errado, na hora errada, mas que de qualquer forma que Eliza e o marido possam descansar em paz, que as famílias de ambos e a legião de fãs da moça só se recordem dos bons momentos em que ela passou entre todos.

Luto no forró com a morte de Eliza Clívia, ex vocalista da Cavaleiros do Forró

#Cavaleiros do Forró #Forró