Um pastor evangélico acabou protagonizando uma grande polêmica em um programa de televisão. Na segunda-feira (19), Javier Soto esteve em uma atração chilena e protagonizou cenas consideradas homofóbicas. Em 'O Interruptor', o religioso deveria participar de uma espécie de debate sobre os direitos homossexuais. No entanto, o que ele acabou fazendo foi justamente o inverso. O pastor parecia mais preocupado em lançar ataques preconceituosos, do que em discursar e chegar a alguma conclusão a respeito do tema.

Apresentador é alvo de ataque homofóbico de convidado

José Miguel Villouta, que apresentava o programa, também acabou sofrendo ataques homofóbicos do pastor.

Publicidade
Publicidade

José é assumidamente homossexual. Ele ouviu o pastor dizer que ia curá-lo. Javier pegou a bíblia e ensaiou uma oração, que teria a capacidade de tirar a homossexualidade de Villouta. Especialistas já concluíram que isso não é possível e, em alguns locais, a "cura gay" é até proibida e vista como crime. O apresentador ficou incomodado e disse que aquilo era um desrespeito, além de não ter qualquer propósito com o tema principal do programa.

Bandeira LGBT vira tapete e diretora decide cancelar entrevista

Curiosamente, o pastor tinha em sua bolsa uma bandeira que representa os grupos homossexuais. Ele chamou o pano que tem as cores do arco-íris. O religioso disse que aquilo era um pedaço de imundice e começou a pisar no pano, ofendendo claramente a todos. O vídeo com a entrevista foi publicado pela emissora chilena na internet e mostra, inclusive, o momento que uma mulher sai dos bastidores.

Publicidade

De acordo com o UOL, que repercutiu o caso no Brasil, a mulher seria a diretora do programa e foi tentar defender o apresentador José Miguel Villouta.

Ela pediu calma ao pastor e que ele respeitasse o comunicador, não tentando fazer qualquer tipo de cura ou ofensas aos grupos gays. No entanto, o pastor não conseguiu se conter e disse que tinha direito a ter opinião e sua crença. A diretora então mandou ele ir para casa e cancelou, imediatamente, a entrevista que seria exibida na telinha. O caso aconteceu um dia depois da parada do orgulho gay de São Paulo, que reuniu mais de 2,8 milhões de pessoas na maior cidade do país.

Veja abaixo o vídeo que mostra o pastor evangélico pisando na bandeira LGBT e fazendo ofensas a um apresentador de televisão:

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas relevantes à sociedade. #Famosos