Após o episódio que praticamente selou o destino de uma das grandes apostas da Rede Globo de Televisão, a novela "O Sétimo Guardião", uma nova "reviravolta" trouxe o caso à tona, a partir de uma decisão conferida aos ex-alunos do autor Aguinaldo Silva. Os riscos inerentes a um possível cancelamento da nova trama global, foram trazidos a público quando um grupo de ex-alunos da oficina de roteiristas do escritor, a denominada "Master Class 3", mudou de posicionamento em relação ao problema de direitos autorais da nova novela das nove horas da noite da #TV Globo.

Nos bastidores de produção dos trabalhos, como também na imprensa, já se verifica que "os ventos mudaram de rumo".

Publicidade
Publicidade

Comenta-se que os ex-alunos que implicaram o autor Aguinaldo Silva em um problema referente a direitos autorais decidiram voltar a apoiar a realização da nova novela da TV Globo. A insatisfação, que antes ameaçava a concretização da trama, deixou de ser realidade.

Os ex-alunos de Aguinaldo Silva já começam a demonstrar que estão favoráveis à continuidade dos trabalhos de produção e, por esta razão, já se prontificaram a assinar o novo termo de cessão de direitos autorais, relacionados ao projeto da nova novela das nove. Entretanto, há ainda algumas dissidências que são parte minoritária dos alunos, porém, que acatarão a decisão da maioria deles.

Exigências da Rede Globo

Um dos principais motivos que pode ter influenciado exponencialmente a mudança de postura por parte dos ex-alunos da oficina roteirista de Aguinaldo Silva pode ser o convencimento de que ter um trabalho veiculado na maior rede de televisão do Brasil, seja algo extremamente proveitoso e benéfico para os currículos desses alunos, embora o novo acordo de cessão de direitos autorais patrimoniais de todas as obras que são contempladas na oficina de roteiristas, como por exemplo, a produção de filmes, sinopses, capítulos de #Novelas e etc., seja algo implementado gratuitamente.

Publicidade

Esse novo documento de cessão de direitos autorais, partiu de uma exigência da Rede Globo de Televisão que não deseja enfrentar novos problemas futuros semelhantes ao atual na Justiça. A maior emissora do país ressaltou ainda que somente seguirá com a produção da novela "O Sétimo Guardião", desde que todos os ex-alunos de Aguinaldo Silva assinem o aditivo. O novo termo possui ainda uma cláusula de confidencialidade, que pressupõe que os alunos estejam proibidos de fazer qualquer tipo de menção à imprensa em se tratando dos assuntos internos da oficina de roteiristas que possam vir a desabonar a realização do trabalho, seja direta ou indiretamente.

Entretanto, a TV Globo se defende ao afirmar que o documento não seria dela, já que não haveria qualquer tipo de envolvimento com o curso ou com os alunos e que o autor Aguinaldo Silva teria a responsabilidade de entregar a obra original, de modo que não houvessem dúvidas em relação a isso. A previsão de estreia da nova novela é que ocorra em maio de 2018, na faixa das 21 horas. #Celebridades