O Brasil é mesmo um celeiro para a produção de bons realities shows. Por aqui, programas como '#A Casa dos Artistas', o 'Big Brother Brasil' e 'A Fazenda' fizeram grande sucesso. No entanto, a #Record TV aposta em um novo produto, no mínimo, polêmico. A emissora com ligação com a Igreja Universal do Reino de Deus estreará uma nova atração de confinamento. Apresentado por Marcos Mion, o reality 'A Casa' tem previsão de ir ao ar apenas no dia 27. O que muita gente não sabe é que a atração já estreia toda gravada e já dá até para saber quem é o vencedor. Além disso, durante as gravações, o nível de baixaria passou do absurdo e até atitudes criminosas aconteceram.

Publicidade
Publicidade

Caso de polícia: Participante de 'A Casa' ameaça companheiro de esfaqueamento

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, do UOL, as gravações de 'A Casa' foram marcadas por muitas confusões e baixaria. O pior acabou acontecendo e o programa praticamente virou um caso de polícia. Está achando exagerado? Nada disso. Em um dos dias de gravação, a coisa ficou tão tensa que um dos participantes, simplesmente, puxou uma faca e ameaçou o seu rival de cravá-la em seu corpo. Por sorte, como existe toda uma segurança envolvida, ninguém foi esquartejado ou morto. O programa é inspirado em uma atração holandesa e tem o objetivo, justamente, de mostrar excesso de perrengue. Ao todo, em uma casa, 100 pessoas tem que dividir a convivência. Mesmo com muita gente, há apenas quatro camas e dois banheiros no local.

Publicidade

Isso tudo, é claro, faz com que muita gente perca a cabeça, como no caso do participante que quase esfaqueou o outro.

Record se gaba e diz que nunca a TV brasileira mostrou um reality tão verdadeiro

A duração do programa no ar vai ser de três meses. O grande campeão vai levar para casa a bolada de R$ 1 milhão. Nos comerciais, a Record TV, que já exibe chamadas do reality 'A Casa', diz que o programa apresentado por #marcos mion no horário das 22h30 (horário de Brasília) é algo que nunca foi visto antes na televisão brasileira. O que promete ser ainda mais polêmico é a forma como o programa se desenha. Não existe votação popular. O líder da semana é quem decide quem vai ser o eliminado. Ele pode, inclusive, eliminar não apenas um participante, mas sim vários de uma vez, o que explica o grande número de pessoas na atração. Difícil mesmo vai ser para o público conseguir acompanhar um programa inflado. Imagina gravar o nome de 100 pessoas ou algo perto disso?

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante.