Desde a estreia de Big Brother Brasil, o Brasil pegou um grande gosto por reality shows. Ver como as pessoas se comportam em diferentes situações se tornou um hobby, e os televisores se mantêm conectados sempre que um programa desse estilo estreia no país.

Também é uma verdade que quanto mais brigas e baixarias, maior a audiência. E nesse quesito, o programa ‘#A Casa’, da Rede Record, que ainda está para estrear, parece que não vai decepcionar.

O programa será apresentado por Marcos Mion, e diferente do BBB, que apresentava provas e episódios ao vivo, o programa da emissora de Edir Macedo já está completamente gravado, e já tem um vencedor.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações do jornalista Flávio Ricco, do site UOL, o programa foi marcado por várias brigas e discussões durante as gravações. E inclusive ocorreu uma ameaça de cunho criminoso dentro da casa.

Um dos participantes chegou a puxar uma faca durante uma discussão e ameaçou cravá-la no pescoço de outro jogador. A segurança do programa interviu e nada aconteceu.

Reality Show leva participantes a situação extrema de confinamento

Se os brothers e as sisters desfrutavam de uma casa espaçosa com piscina, academia e cinema, os moradores de "A Casa" não terão a mesma sorte. No programa, que imita uma atração holandesa, 100 participantes dividem o espaço, que possui apenas quatro camas e um banheiro. Para desfrutar das “regalias”, os jogadores disputam pela liderança semanal.

Além disso, na programação original, tudo o que o competidor consome de comida e bebida será descontado do prêmio final, o que faz com que muitas pessoas se tornem “muquiranas” durante o jogo.

Publicidade

Como a soma total de gastos, de todos os 100 participantes, será descontado, a intenção é que mais gente saia do programa o quanto antes para que o prêmio não diminua. E também gera uma sensação e vigilância, já que comer a mais pode causar sérios problemas entre os moradores.

A ideia do programa é elevar os ânimos dos participantes, tanto que a versão holandesa se chama “Get the F*ck Out of My House”, que significa algo como “Cai fora da Po**a da Minha Casa), e é essa a frase que o líder deve gritar quando eliminar alguém.

Outro detalhe da dinâmica do jogo é que ele não possui voto popular. A eliminação é escolha exclusiva do líder, o que pode fazer com que a audiência considere o jogo “injusto”.

E, além disso, dependendo do dia, o líder poderá eliminar de 1 a 10 participantes de uma mesma vez. Por isso o número de participantes é tão grande.

O programa deverá ficar no ar por três meses, e a emissoras já garante que se trata do #Reality Show mais honesto de que se tem notícias. Os criadores da atração já definem como “zoológico humano”. Há uma versão alemã em produção na Europa. #marcos mion