O programa#Casos de Família”, do #SBT, sofre frequentes acusações sobre encenar os casos reais que exibe. A alguns dias atrás, o tema do programa foi “Nasci mulher em um corpo de homem.... e adoroo, seu trouxa!”, e exibiram o drama da transexual Thalita Araujo.

Thalita teve o programa dedicado ao seu drama, pois, segundo ela, sofre preconceito em sua própria casa e na família por conta de sua sexualidade. O programa apresentado por Cristina Rocha contou com a presença da cunhada (centro da foto) de Thalita, casada com o irmão da #Trans. Ela foi a principal personagem do dia, e chamou a atenção por ter exposto todo o seu preconceito no programa.

Publicidade
Publicidade

Adriana deixou bem claro seu incômodo e preconceito por Thalita. “Ela se veste de mulher 24 horas por dia, eu não posso aceitar isso, não concordo com isso, acho muita falta de respeito e má influencia com seu filho”, declarou ela.

Outra pessoa que foi destaque no dia foi a psicóloga Anahy D’Amico. Ela deu várias lições, acima de tudo, de educação com o próximo. "Temos que educar nossas crianças para a homossexualidade, mas tem muito adulto que precisa ser mais educado que nossas próprias crianças”, disse a doutora.

Thalita contou um pouco de sua história para a plateia. O programa foi feito para esclarecer ao público sobre o preconceito contra transexuais. Porém, uma semana depois da exibição, Thalita abriu o jogo em suas redes sociais. Ela agradeceu às pessoas e familiares que assistiram ao programa e disse que tudo foi encenado.

Publicidade

“Obrigado a todos vocês que assistiram ao programa e me assistiram, mas, infelizmente, foi tudo combinado. O bom de tudo isso foi a parte da psicóloga que arrasou ao informar à sociedade sobre a transexualidade. Mas o restante do programa, não passou de um 'blá-blá-blá', sem muito proveito. Espero que tenha feito alguma diferença de alguma forma para a sociedade entender o nosso lado e esquecer o preconceito”, escreveu Thalita.

“Minha cunhada e minha amiga drag me aceitam e me amam, elas não têm preconceito algum por eu me vestir assim. Mas esse fato é a realidade de muitas trans, elas não têm apoio em casa. Nós queremos apenas ser aceitos pelas nossas próprias famílias e pela sociedade como pessoas normais”.

Com o desabado da transexual, a emissora foi procurada e deu sua versão dos fatos.

“O programa ‘Casos de Família’ tem apenas uma missão, exibir a verdade e esclarecer para a sociedade a realidade dos fatos. Por isso passamos para o público, histórias verdadeiras. A nossa seleção é através de entrevistas, e não trabalhamos com detector de mentiras", disse o produtor do programa.