Após assumir seu novo romance, #Marcelo Rezende publicou sua primeira foto ao lado da namorada #Luciana, carinhosamente chamada de Lu. O apresentador, que está enfrentando uma luta contra o câncer, conta com o apoio dos amigos e familiares.

Em suas redes sociais, Marcelo agradeceu aos fãs pelo apoio e falou sobre sua gratidão pelo seu tratamento alternativo e trajetória. Muito espiritualizado, Rezende agradeceu a Deus e falou sobre a fé para atingir a cura.

Com o apoio de Luciana Lacerda, de 51 anos, divorciada e mãe de uma menina, o relacionamento, que foi recém-descoberto, agora se tornou um pilar de ajuda ao apresentador.

Publicidade
Publicidade

No Dia dos Namorados, a moça publicou uma foto de mãos dadas com o apresentador e declarou "Algumas imagens não precisam de legendas. Feliz dia dos namorados. Já vencemos. Juntos somos mais fortes. Sempre estarei ao seu lado.

Marcelo reaparece em vídeo e é notável que está bem mais magro e fragilizado. Com a mudança de seu tratamento, que antes consistia em coquetéis de quimioterapia e injeções, o apresentador recorreu aos ideais alternativos que contam com uma dieta especifica para matar as células #cancerígenas de fome.

O câncer no qual foi diagnosticado é considerado um dos mais agressivos e um dos mais difíceis de diagnosticar, pois sua taxa de mortalidade é extremamente alta. A localização do pâncreas na cavidade mais profunda do abdome, atrás de outros órgãos, dificulta a detecção precoce do câncer.

Publicidade

O tumor normalmente se desenvolve sem sintomas, sendo difícil diagnosticá-lo na fase inicial. Quando detectado, já pode estar em estágio muito avançado.

No caso do jornalista, o seu câncer está nesse estágio, em que a doença já se espalhou para outros órgãos. Não compete mais a retirada do câncer e o portador passa por dores fortíssimas, além de sofrer de efeitos colaterais.O câncer no pâncreas é causado pelo crescimento descontrolado das células do pâncrea, que produz o hormônio insulina e que controla a glicemia.

Este tipo particular se espalha através do sistema linfático para outras partes do corpo, como fígado, pulmões, ossos, etc. Raramente esse tumor se forma em crianças ou jovens.

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), no Brasil, o câncer de pâncreas é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de mortes por câncer. Esse câncer é mais comum após os 50 anos de idade, e é quase duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres.