O que pode parecer incrível ou mesmo inacreditável para um número grande de pessoas é que, em pleno século XXI, o preconceito de um indivíduo qualquer em relação a uma outra pessoa ou a um grupo social específico parece ser um vírus assassino, que infecta o hospedeiro e quem está a sua volta, com uma velocidade cega e causando danos irreparáveis a quem é exposto a ele.

As idéias preconcebidas ou que fazem julgamento antecipado sobre a raça, religião, sexualidade, poder aquisitivo, grau de escolaridade ou mesmo a cor da pele de alguém, geralmente são adotadas por pessoas que não respeitam o próximo e a rica diversidade da espécie humana.

Publicidade
Publicidade

Por exemplo, o #Racismo é um desses exemplos negativos que não agrega em absolutamente nada a ninguém e poder atingir a todos, desde o simples cidadão comum até uma personalidade de fama internacional.

Foi exatamente isso que aconteceu com a atriz da #Rede Globo de televisão, a bela e talentosa Taís Araújo que, em entrevista recente concedida à revista feminina “Marie Claire”, explicou aos leitores em geral que optou por se resguardar, sofrendo e ficando calada. Isso porque, no ano de 2015, a global foi mais uma vítima de ataque covarde de racismo na rede virtual.

Taís revelou que justamente em 2015, depois de ter sido atacada por posts racistas, se ela ficasse passiva diante de tal situação, ela estaria sendo conivente com uma ação criminosa e condenável.

Por outro lado, Araújo se encontrava em um impasse, pois ela não queria se promover porque foi confrontada com o quadro de racismo que cruzou o seu caminho.

Publicidade

O que a atriz fez foi não dar mais nenhum tipo de entrevista relacionada ao tópico por ela sofrido, o que acabou lhe causando uma onda de terríveis dores de cabeça, arrematou Taís.

A estrela decidiu também que deveria comparecer a uma DP (Delegacia Policial) a fim de prestar queixa pela questão de ter sido alvo de injúria racial. Taís disse também que até mesmo do “Jornal Nacional”, que é um dos programas jornalísticos da emissora carioca para qual trabalha, ela sofreu pressão para falar sobre o caso.

Por outro lado, a famosa acabou revelando que implorou à Globo para que a resguardasse, pois, no entender dela, o lugar que deveria estar ocupando era no setor cultural e não na seção policial dos noticiários. Caso contrário, ela estaria dando eco aos racistas desprovidos de sentimento, respeito e sensibilidade.

#Taís Araújo, como sempre, uma mulher de bom senso, meiguice e empoderamento.