Desde o início da carreira, a cantora #Preta Gil tem afinidade com a causa gay e tem milhares de fãs simpatizantes dos movimentos #LGBT. Desta feita, porém, a cantora decepcionou ao cobrar cachê para participar de um importante evento em defesa dos direitos deste público específico.

O sonho dourado dos organizadores da Segunda Parada da Diversidade, que deverá acontecer no dia 10 de setembro de 2017 na Vila da Penha, zona norte do Rio de Janeiro, era ter Preta Gil como rainha do evento. O convite foi feito no ano passado, informalmente, ocasião em que a cantora organizou um bazar e, segundo os organizadores da Parada, a cantora adorou a ideia.

Publicidade
Publicidade

Agora, ao entrarem em contato com o escritório que cuida da vida profissional de Preta, veio a surpresa. Para que a famosa aceite o convite e compareça para ser coroada como rainha da Parada da Diversidade, o cachê a ser pago seria de 50 mil reais.

A organização do evento não esperava a cobrança e argumenta ter explicado que ela só precisaria permanecer pouco tempo e dizer algumas palavras. Além disso, alega que “quem participa da Parada não recebe nada. Vem pela causa mesmo que está sendo defendida”. Apesar de terem oferecido toda a estrutura para que a cantora fosse coroada rainha do evento, o escritório confirmou a cobrança de cachê.

A versão oficial da assessoria é que Preta tem um show que está sendo agendado para a mesma data e que não é possível abrir mão de um compromisso que será rentável, para comparecer a outro no qual a cantora não receberá nada.

Publicidade

No site oficial de Preta Gil, no entanto, a data ainda está em aberto.

Filha de #Gilberto Gil, Preta seguiu os passos do pai na carreira artística e, volta e meia, está envolvida em polêmicas. Como atualmente sucesso se mede em número de seguidores, pode-se dizer que Preta chegou lá. Sua página na rede social Facebook possui quase 4 milhões e meio de curtidas.

O casamento com o personal treiner Rodrigo Godoy, em 2015, foi um dos mais extravagantes da “high society” brasileira, com direito a uma festa que durou 12 horas e foi repleta de extravagâncias, a começar pelo número de convidados, nada menos do que 700! Entre os 56 padrinhos, figuravam Ivete Sangalo, além de Angélica e Luciano Huck.

Entre outros presentinhos, as madrinhas receberam pulseiras de ouro com o monograma dos noivos. A cerimônia religiosa contou com 16 vozes dos maestros mais renomados dos casamentos cariocas e a festa, que custou 2 milhões de reais, teve shows com os cantores Ludmilla e Thiago Abravanel.

Um ano e meio depois de tudo isto, surgiram boatos sobre uma crise conjugal, mas Preta negou tudo e comemorou no dia 12 de maio os dois anos de união, em uma publicação: “Meu marido é o máximo!... Há dois anos me fazendo a mulher mais feliz do mundo!”.