Nesta terça-feira (4), foi publicada em diversas paginas na internet uma noticia comentando sobre a acusação de assedio sexual contra o deputado #Tiririca, a suposta vítima seria a ex-babá da filha do humorista.

Maria Lúcia Gonçalves Freitas de Lima, 41 anos, compareceu à 10ª Delegacia de Polícia de Brasília para registrar a ocorrência, a ex-babá ainda entrou com uma ação trabalhista contra Tiririca e sua esposa.

O humorista negou a acusação e ainda afirmou que a doméstica estava tentando tirar dinheiro dele. Segundo Nana da Silva Magalhães, a esposa do deputado federal, a ex-babá de sua filha havia exigido um valor de cem mil reais de rescisão, mas essa quantia não correspondia ao valor de sua demissão.

Publicidade
Publicidade

O casal ainda prestou queixa na delegacia contra a doméstica.

De acordo com Tiririca e sua esposa, a emprega foi demitida, pois estava consumindo bebidas alcoólicas durante o horário de trabalho e o valor correto de sua demissão foi pago de acordo com as leis trabalhistas. Nana ainda afirmou que Maria Lúcia não aceitou e fez ameaças ao casal, afirmando que se o valor de cem mil não fosse depositado em sua conta, ela iria prejudicar a vida do político e de sua mulher.

A ex-babá prestou depoimento no último dia 20 de junho e relatou que em maio do ano passado, durante uma viagem com a família, Tiririca retornou de uma gravação meio alterado e após ofender verbalmente a emprega, a agarrou por trás, abrindo os botões da calça e afirmou que faria sexo com ela. Ainda de acordo com o depoimento da empregada, ela conseguiu sair de perto dele, mas o deputado passou a correr atrás dela.

Publicidade

Maria Lúcia afirma que Nana, a filha e os assessores do deputado presenciaram a cena, mas somente a menina de apenas oito anos se manifestou para ajudá-la. Enquanto todos davam risadas e se divertiam com a situação, a garota empurrou o pai e pediu para ele parar.

A empregada disse que os abusos não pararam e no dia seguinte, em uma festa de família, o deputado passou a mão em suas partes intimas e começou a distribuir ofensas contra ela. Maria Lúcia relatou que o patrão afirmou que ela só continuaria com o emprego se tivesse relação sexual com ele.

Nana teria procurando a babá para defender o marido, alegando que eram apenas brincadeiras e que o deputado agia assim, pois gostava da empregada.

A babá foi admitida no dia 1º de março de 2016 para prestar seus serviços como cuidadora da filha do deputado e foi dispensada no último dia 29 de junho sem justa causa. O caso ainda vai ser apurado. #Política #Crime