Francisco Everaldo Oliveira Silva, deputado federal, eleito pelo partido da República do Estado de São Paulo, está sendo acusado pela ex-babá de sua filha de ter cometido #Assédio Sexual, quando a mesma trabalhava na casa do político.

A babá Maria Lúcia de Lima, de 41 anos, conta que o caso aconteceu quando ela foi contratada pelo político para cuidar de sua filha.

A mulher fez um boletim de ocorrência para registrar o caso e entrou com um processo na Justiça. No entanto, o deputado nega ter cometido qualquer #Crime contra sua ex-funcionária e diz ainda estar sofrendo chantagem por parte de Maria.

O caso está na Justiça desde o começo do ano de 2017, no entanto, o caso só foi revelado recentemente, já que Francisco é deputado e tem foro privilegiado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), onde o crime passava por análise.

Publicidade
Publicidade

Nesta terça-feira, 4, o ministro Celso de Mello, que cuidava do caso, resolveu retirar o sigilo do processo, já que a doméstica não possui foro privilegiado, fazendo assim a história vir ao conhecimento de todos.

Nana Silva Magalhães, esposa do deputado há mais de 20 anos, é uma das pessoas que o defende. Segundo ela, a ex-babá está fazendo as acusações afim de lucrar em cima do casal, por isso, eles resolveram abrir um inquérito contra Maria.

A ex-babá teria exigido do casal a quantia de R$ 100 mil, quando foi demitida. Caso o deputado não a pagasse, ela iria processá-lo por abuso sexual. A empregada foi demitida após Tiririca e Nana descobrirem que a mesma consumia bebida alcoólica enquanto estava em serviço.

Maria teve uma breve passagem como contratada da família, ela teria ficado menos de dois meses prestando seus serviços ao casal.

Publicidade

De acordo com Maria, tudo aconteceu em maio de 2016, durante uma viagem em que ela acompanhava a família até São Paulo. O deputado teria agarrado ela pelas costas com a mão em sua cintura e dito que faria sexo com a mesma. A moça declara que a cena foi presenciada pela filha, esposa e assessores do deputado, que o acompanhavam na viagem.

Um dia após o episódio de assédio sexual, Maria declara que os comentários e assédios continuaram durante uma festa dada por Francisco, em Fortaleza (CE). De acordo com declarações da moça, ele tocou em suas nádegas sem que ela houvesse permitido.

O parlamentar nega qualquer envolvimento com sua ex-funcionária e diz que Maria Lúcia foi contratada apenas para cuidar de sua filha, que na época tinha 7 anos de idade. #Famosos