Nesta sexta feira (28), a internet parou para ouvir "Bate a Poeira Parte II", da musa da black music brasileira Karol Conka. Ela é um furacão que chegou para ficar. Empoderada, negra, mulher e feminista, a jovem não tem medo de bater de frente. A rapper fala de todos os assuntos, sem pudor.

Quem já viu alguma entrevista de Karol sabe que ela levanta as suas bandeiras de forma concisa e intensa. Argumentos não faltam. Saindo de um meio musical assumidamente machista, a rapper Karol Conka vem colocando muito marmanjo no chão. Mamacita chegou, e quando ela fala, vagabundo senta.

Depois de lançar uma novo hit com o rapper paulista Projota, chamado "Mais Like", a cantora divulgou sua nova música de trabalho, o "Bate a Poeira Parte II".

Publicidade
Publicidade

Ouça o novo hit de Karol:

Se em "Mais Like", Projota e Karol Conka criticam o jogo de aparências nas redes sociais, em seu trabalho solo, a cantora explora um lado mais crítico sobre as diferenças sociais. Inclusive, por esse motivo, a música foi escolhida para ser tema da nova fase da eterna novela teen Malhação, da Rede Globo.

Para a jovem cantora, a música é uma forma de educar, pois, quando uma música como "Bate a Poeira Parte II" entra na abertura de uma novela, como Malhação, mostra que se está havendo uma reeducação cultural. Para a cantora, essa é uma revolução que está sendo construída no Brasil, pouco a pouco.

O atual autor da temporada de malhação, Cao Hamburguer, foi quem convidou Karol Conka para ser tema de abertura, pois a música encaixava na proposta do projeto. Essa nova fase de Malhação foca nas diferenças.

Publicidade

Cao quis contar a história de cinco jovens comuns e que não se conhecem, mas quando uma delas acaba dando à luz no metrô, com ajuda das outras, uma amizade forte se desenvolve.

Karol Conka comemora o sucesso que a música conseguiu no Itunes e no Spotfy e já planeja um próximo álbum de inéditas, mas ainda sem uma data determinada para lançamento.

A faixa "Lalá" tinha sido seu último lançamento. Inclusive, a música causou polêmica, pois fala sobre o prazer da mulher e da falta de "pegada" de um homem, que diz que pega todas e sabe tudo na cama, mas quando chega na hora "H" passa vergonha. Em um trecho ela diz: "Moleque mimado, bolado, que agora chora só porque eu mandei ajoelhar e fazer um "lalá" [gíria para sexo oral, na mulher] por várias horas". Veja o clipe da música.

Karol Conka é um sucesso que nada contra um mercado já saturados das mesmas cantoras "padrõezinhos". Com um estilo próprio de se vestir, falar, compor e cantar, ela mostra, cada vez mais, que a Mamacita veio para mexer nos padrões e não se encaixar neles.

Gosta de Karol Conka? Deixe seu comentário. #empoderamento #BateAPoeiraII