Publicidade
Publicidade

Até mesmo as pessoas mais céticas já estão acreditando que os últimos acontecimentos em relação aos principais âncoras do jornalismo da #Rede Globo de televisão é a aplicação da lei do retorno, algo que pode ser entendido como “aqui se faz, aqui se paga”, [VIDEO]em alusão à postura histórica questionável que a empresa da família Marinho adotou ao longo dos tempos, quando o assunto é povo, democracia e Brasil.

Fato é que #William Waack, jornalista da emissora em questão e apresentador principal do “Jornal da Globo”, ficará afastado da frente das câmeras por tempo indeterminado, uma vez que continua internado no conhecido hospital Sírio-Libanês, localizado na Cidade de São Paulo.

Publicidade

Conforme informações veiculadas pelo portal “Notícias da TV”, Waack não se sentiu bem na última quinta-feira (20), tendo que receber no dia seguinte, quatro "stents", que são pequeníssimos tubos de metal, cuja função é a desobstrução das artérias, entupidas por substâncias gordurosas.

Resumidamente, ainda de acordo com as informações da fonte citada acima, a saúde em geral de William passa por sérios problemas, inspirando mais cuidados do que se imaginava anteriormente nos estúdios da Globo. [VIDEO]

William José Waack, ou simplesmente William Waack, como o jornalista e professor é mais conhecido, nasceu em São Paulo no dia 30 de agosto de 1952.

O global é formado em jornalismo pela USP (Universidade de São Paulo) e em ciência política, sociologia e comunicação pela renomada Universidade de Mainz, que fica na Alemanha.

Publicidade

A título de curiosidade, William já integrou a Seleção Brasileira de Handebol Masculino.

Waack, para os mais importantes e significativos meios de comunicação do Brasil, tanto dentro do país quanto no exterior, cobriu profissionalmente momentos importantes como o fenômeno da Guerra Fria, a Revolução iraniana, a queda do Muro de Berlim e a desestruturação da ex-URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), que catacterizou o fim do socialismo europeu na sua forma mais rígida.

No ano de 1996, William iniciou o trabalho para a Rede Globo, ainda no exterior, e em 2000 retornou ao país, obtendo destaque como apresentador do Jornal da Globo.

Vale frisar sobretudo que Waack vem sendo alvo de duras críticas de políticos de esquerda, cidadãos, formadores de opinião e até de colegas dentro da própria emissora carioca, os quais têm uma linha de atuação social e política semelhantes às adotadas nos governos do ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Tanto é assim, que Mônica Iozzi atacou recentemente William Waack, chamando-o de parcial ou algo como tendencioso, no que diz respeito ao posicionamento político neo-liberal do colega global.

Iozzi postou na sua rede social que quando assistia o Jornal da noite, ela se sentia como se estivesse em “uma aula de moral e cívica em 1968”, ano em que, coincidentemente, a ditadura, que reinava no Brasil, publicou o famoso AI5, Ato Institucional que dava plenos poderes aos militares. #Monica Iozzi